"Eu sirvo um Deus fiel", declara médico curado do Ebola

Em coletiva de imprensa, o médico Kent Brantly louva a Deus por sua cura do Ebola

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 21 Agosto de 2014 as 7:57

 

Diante da morte de 1.350 pessoas (576 na Libéria, 396 na Guiné e 374 em Serra Leoa), segundo o último balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado nesta segunda feira (18), dois missionários americanos foram curados da doença causada pelo vírus Ebola. O doutor Kent Brantly, de 33 anos, e a missionária Nancy Writebol, de 60, que contraíram  a doença ao cuidar de doentes na capital da Libéria, Moróvia, deixaram nesta quinta-feira (21) o hospital completamente curados. "Eles se recuperaram, e  podem voltar para sua familília e vida sem preocupações", disse Bruce Ribner, diretor da unidade de doenças infecciosas do hospital Emory.

"Hoje é um dia milagroso", comemora o médico, Kent Brantly, em uma coletiva de imprensa que aconteceu hoje, após receber alta. Brantly fez um agradecimento especial pelo apoio que recebeu da organização humanitária cristã Samaritan's Purse, da qual fez parte, auxiliando os afetados pela doença. "Acima de tudo, sou eternamente grato a Deus por ter poupado a minha vida". 

A missionária Nancy Writebol, que já tinha tido alta na terça-feira (19), ainda está com a saúde fragilizada e se mantém em repouso, de acordo com seu marido David Writebol. Ela está se sentindo muito encorajada de saber que tantas pessoas ao redor do mundo estão orando por sua saúde”, declara David.

Sobre Nancy, o médico Kent Brantly declarou: "Quando ela saiu do quarto de isolamento, tudo o que podia dizer era: A Deus seja a glória!".

 

Cura do Ebola: resultado da droga experimental ou da fé?

Nancy e Brantly foram tratados em uma unidade de isolamento do hospital na Libéria, onde receberam uma droga experimental desenvolvida por uma pequena empresa californiana para combater a doença, denominada ZMapp. "Francamente, não sabemos se os ajudou, se não fez diferença ou se teoricamente atrasou sua recuperação", disse o médico Ribner, sobre a droga Zmapp.

Brantly, em seu depoimento, relata a sua confiança e fé em todo o tratamento da doença. "Enquanto eu estava deitado em minha cama, na Libéria, ficando mais doente e mais fraco a cada dia, eu orei para que Deus me ajudasse a ser fiel a Ele, mesmo em minha doença. Eu orava para que em minha vida ou minha morte, Ele fosse glorificado ", disse ele. "Eu não sabia, mas eu tenho aprendido desde então, que havia milhares, talvez mesmo milhões de pessoas ao redor do mundo orando por mim durante toda essa semana, e mesmo ainda hoje. E eu tenho ouvido muitas histórias de como esta situação tem impactado a vida de muitas pessoas ao redor do mundo, tanto entre os meus amigos e família. Eu não posso agradecer o suficiente pelas orações e apoio. Mas o que eu posso dizer é que eu sirvo um Deus fiel, que responde às orações", agradece Brantly.

 

Com informações do Samaritan's Purse

Por Luana Novaes - www.guiame.com.br

veja também