Evangélicos são, mais uma vez, alvo de deboche em programa da rede Globo

Com o personagem "Galinha Preta Convertidinha", programa humorístico gera polêmica mais uma vez ao ironizar evangélicos.

fonte: Guiame, com informações da UOL

Atualizado: Sexta-feira, 20 Fevereiro de 2015 as 2:52

Na última quinta-feira, o segundo episódio da nova temporada do programa "Tá no Ar" veio novamente suscitar a indignação de muitos espectadores, entre eles, os cristãos. Após ter exibido trailer "Crents" (uma paródia da famosa série Friends na qual satirizada uma família de evangélicos), o programa testou mais uma vez os limites entre humor e ofensas com o cristianismo, ao mostrar a "Galinha Preta Convertidinha".

No quadro, crianças (que seriam supostamente evangélicas) assistem à propagando da personagem na TV. Além da Galinha, o desenho animado estende sua sátira com os personagens "Cãozinho Pastor" e "Ovelinha de Jesus".

"Ir pro inferno é fogo/ A Verdade é Universal/ Cuidado com a Hora/ do Juízo Final", diz o jingle do "comercial" infantil.

Após assistir ao comercial, as crianças gritam para a suposta mãe: "Compra, mãe! Em nome de Jesus!".

Já no ano passado o mesmo programa havia satirizado católicos (com um rap) e também umbandistas, gerando críticas destas partes. Porém desta vez, o "recado" aos evangélicos foi ainda mais claro.

As ironias e piadas sobre o protestantismo e alguns dos componentes deste contexto - que vão desde a compra de espaço na TV ao exorcismo - não deixam dúvidas com relação às críticas do programa à religião.

Incoerência
Falar sobre a contradição destas e outras formas que a rede Globo tem usado para retratar os evangélicos na mídia parece estar tornando-se exaustiva. De um lado, o Festival Promessas (organizado pela gravadora Som Livre - de propriedade da emissora - e o seu selo gospel "Você Adora"), de outro o incansável deboche contra os evangélicos (seja em programas de humor ou em dramas, como novelas e séries).

Apesar de incoerentes, medidas como estas continuam a ser adotadas pela rede Globo, que há tempos já vem sendo criticada por ter outros programas de baixa qualidade em sua grade como incansável Big Brother Brasil e o "humorístico" Zorra Total - que já teve o seu fim anunciado pela emissora e celebrado por muitos espectadores.

veja também