Ex-arcebispo afirma que a intensa participação de mulheres trouxe problemas para a Igreja Católica

"As atividades da paróquia e até mesmo a liturgia tem sido influenciadas por mulheres e se tornado tão femininas que, em muitos lugares, os homens não querem se envolver”, disse o ex-arcebispo Raymond Leo Burke.

fonte: Guiame, com informações de Washington Post

Atualizado: Quarta-feira, 14 Janeiro de 2015 as 7:07

Raymond Leo Burke, ex-arcebispo de Saint Louis, EUA.
Raymond Leo Burke, ex-arcebispo de Saint Louis, EUA.

 

Raymond Leo Burke, ex-arcebispo de Saint Louis, EUA, tem feito muitas críticas nas políticas do Papa Francisco. Em entrevista ao Washington Post, Burke afirmou que a intensa participação de mulheres nas atividades da Igreja Católica tem influenciado homens a se tornarem homossexuais dentro da igreja.

Para Burke, os problemas começaram na luta das mulheres por seus direitos, na década de 60, forçando a Igreja Católica a abrir espaço para sua participação. Quando isso aconteceu, “a importância dos homens se tornou muito superficial", dando origem a uma igreja "muito feminizada".

"Houve um período em que os homens ficaram feminizados e confusos sobre sua própria identidade sexual ao entrar para o sacerdócio. Infelizmente, alguns desses homens sexualmente desordenados já foram vítimas de abuso quando eram menores; uma tragédia terrível pela qual a igreja chora", disse Burke.

"Além do padre, o santuário se tornou cheio de mulheres", continuou Burke. "As atividades da paróquia e até mesmo a liturgia tem sido influenciadas por mulheres e se tornado tão femininas que, em muitos lugares, os homens não querem se envolver. Os homens são, muitas vezes, relutantes em se tornar ativos na igreja. O ambiente feminizado e a falta de esforço da igreja para envolver os homens, tem levado muitos a simplesmente optarem por sair."

Burke conta que não vê as mudanças apenas no interior da igreja, mas até mesmo no casamento. "Os jovens me disseram que estavam, de certa forma, assustados com o casamento por causa da radicalização das mulheres na época," ele disse. " Esses jovens estavam preocupados de entrar em um casamento que simplesmente não iria funcionar, por causa da constante exigência dos direitos das mulheres. Infelizmente, a igreja não tenha reagiu a essas forças culturais destrutivas." 

Ainda assim, Burke expressou otimismo sobre a sua visão de masculinizar a igreja. "Os nossos seminários estão começando a atrair muitos jovens fortes que desejam servir a Deus como sacerdotes", disse ele. "A nova safra de jovens são viris e confiantes sobre sua identidade."

veja também