Ex-gays apoiam Marisa Lobo: "Nossos direitos estão sendo negados"

Apesar da cassação não ter sido oficialmente motivada pela erroneamente chamada "cura gay", o assunto voltou à tona em razão de Marisa ter atendido pacientes gays que manifestaram desejo de seguir outra orientação sexual.

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 29 Maio de 2014 as 9:35

Ex-gays apoiam Marisa Lobo: "Nossos direitos estão sendo negados"A recente cassação da psicóloga Marisa Lobo por parte do CRP (Conselho Regional de Psicologia) vem causando polêmica. Criticada por muitos cristãos e "celebrada" por integrantes do movimento LGBTT, a medida foi tomada pelo Conselho no dia 16/05 deste ano (2014). Entre os que têm apoiado a profissional, estão diversas pessoas, que têm ficado conhecidas como "ex-gays", ou seja, homossexuais que optaram por não seguir mais tal orientação sexual.

Apesar da cassação não ter sido oficialmente motivada pela erroneamente chamada "cura gay", o assunto voltou à tona em razão de Marisa ter atendido pacientes gays que manifestaram desejo de seguir outra orientação sexual.

Com fotos, cartazes e depoimentos, os ex-gays têm afirmado que o Conselho de Psicologia rejeita sua existência e testemunham que a mudança de orientação sexual é possível, sem que precise ser chamada de "cura gay" e apoiam a psicóloga Marisa Lobo, que já havia declarado abertamente, respeitar a existência desta possibilidade de mudança.

Ex-homossexual e atualmente pastor, Arlei Lopes publicou uma nota, esclarecendo sua motivação em apoiar a psicóloga e exigindo que os direitos à liberdade de expressão e também à decisão em relação à sexualidade sejam respeitados.

A nota também conta com o Paulo Sergio Ferreira Tomé, Jaqueline Lopes e da própria psicóloga Marisa Lobo.

Confira a nota abaixo na íntegra:

Esclarecimento ao apoio à Psicóloga Marisa Lobo

Somos pessoas que deixamos a prática homossexual e fazemos parte de uma diversidade que é rejeitada e odiada pelo movimento GLBTT e agora pelo Conselho Federal de Psicologia.

A psicóloga Marisa Lobo teve coragem de vir à mídia pedir respeito a nós, pois existimos. Queremos deixar claro que essa nomenclatura “Cura gay” não existe, sendo deturpação daquilo que a Psiquiatria chama de Orientação Sexual Egodistônica, isto é, pessoas cientes de sua preferência sexual, mas que desejam uma orientação sexual diferente por causa de transtornos psicológicos e comportamentais, que podem ser alterados, pois somos provas vivas dessas alterações. Porém, hoje, essas pessoas estão sendo impedidas de serem ajudadas pelos profissionais da psicologia e alguns têm recorrido à fé cristã para conseguir ajuda. A psicóloga em questão não foi cassada por fazer esse tipo de tratamento e sim por expor abertamente que é Psicóloga Cristã, e isso é inconstitucional, pois ela tem liberdade de expressão, e nisso a apoiamos.

Todo ser humano tem direitos e o nossos estão sendo negados. Não nos respeitam como pessoas capazes de tomar decisões, tiram nosso direito a buscar nossa verdadeira essência, negam nossas crenças e valores morais e espirituais em que acreditamos. Ignoram-nos, quando nos ridicularizam dizendo, de forma não científica, que não é possível mudar. O ser humano tem o direito – que é inviolável – de ser gay e de não querer ser mais gay. Eu existo, sou feliz, sou homem completo, assim como meus colegas ex-homossexuais. A psicóloga Marisa Lobo e nós, conhecidos agora como os ex-gays, seguimos os verdadeiros direitos humanos: o de dar liberdade individual, sem qualquer discriminação.

Pr. Arlei Lopes

www.guiame.com.br 

veja também