Ex-miss fala sobre sua vida após paralisia: “Nosso valor está ligado ao que somos em Cristo"

Katherine Wolf sofreu uma hemorragia cerebral e desde então ela não pode andar nem engolir alimentos. Ela também teve uma paralisia facial, mas isso não foi o suficiente para desanima-la.

fonte: Guiame, com informações do Christianity Today

Atualizado: Terça-feira, 21 Fevereiro de 2017 as 9:08

Katherine compartilhou sobre como seu sofrimento transformou sua visão sobre a vida e fé. (Foto: Reprodução).
Katherine compartilhou sobre como seu sofrimento transformou sua visão sobre a vida e fé. (Foto: Reprodução).

No dia 21 de abril de 2008, aos 26 anos, Katherine Wolf teve uma hemorragia cerebral por conta de um acidente vascular cerebral que quase a matou. Ela sobreviveu, mas ficou incapaz de andar, conversar, ou engolir, além de adquirir surdez da orelha direita e paralisia facial na região do lado direito. Na época ela era miss, modelo e mãe de um bebê de seis meses.

“Eu sou grato pelo fato do Senhor ter me permitido experimentar o sofrimento em uma idade mais avançada”, diz Katherine. "A cruz e o sofrimento de Cristo não parecem bonitos, mas no reino de Deus, sabemos que é a fonte suprema de beleza porque significa que o fim da história não é de tristeza, dor e sofrimento. Mas de vida nova e isso é uma coisa linda”, disse.

Em 2013, ela e seu marido, Jay, iniciaram a Hope Heals, um ministério que atende pessoas que enfrentam deficiências físicas e outros desafios, com o objetivo final de “transmitir a esperança de que Jesus trará cura para as dores mais profundas que todos carregamos”.

Katherine compartilhou com o site Christianity Today sobre como seu sofrimento transformou sua visão sobre a vida, a fé e a natureza da beleza duradoura. “Quando tive o derrame, muitas coisas foram eliminadas em termos de habilidades físicas. Eu não podia usar minhas mãos, não podia comer, nem andar. A minha aparência era apenas mais uma das coisas com a qual eu estava lidando. A beleza não era mais tão importante. Aprender a ficar em pé novamente foi um grande negócio. Colocou minha aparência e beleza em seu devido lugar”, disse.

“Meu bebê estava sendo criado por outras pessoas. Enquanto eu estava olhando ele crescer, eu não poderia dizer-lhe quando ele aprendeu a andar ou fazer suas ‘primeiras coisas’. A tragédia redefine e esclarece tudo em sua vida, e quando você está tratando de não cuidar de seu próprio filho, sua aparência vai para o último lugar da preocupação”, ressaltou.

Questionada sobre sua formação cristã, a ex-miss respondeu: “Havia um profundo sentimento na minha comunidade, de querer proteger as crianças do mundo e não discutir as coisas ruins e feias. A cultura ocidental muitas vezes diz que os jovens são invencíveis e nada pode acontecer com eles. Mas a verdade é que todos nós vamos experimentar o sofrimento na terra, e se nunca vemos isso acontecer, não saberemos como lidar com isso”, pontuou.

“Nossas vidas vão desmoronar. O sofrimento é o denominador comum em nossa humanidade e nos aponta para Jesus. E assim eu quero ensinar meus filhos a noção de que o bem e o mal não são mutuamente exclusivos um do outro, mas que as coisas podem ser muito boas e muito difíceis ao mesmo tempo”, colocou.

“Manter as aparências”

“Estar numa cadeira de rodas foi tão libertador. A beleza que vem de ficar paralisada está sendo livre de percepções de que tudo está bem comigo ou que eu tenho tudo junto. Meu corpo se tornou um microcosmo único. Eu sou aquela com o rosto paralisado, mas quem se sente bonita o tempo todo? Eu não posso nem escrever nem andar mais, mas me sinto totalmente livre em minha vida. As pessoas sabem à primeira vista que estou paralisada, mas minha incorporação de quebrantamento é na verdade a história de todos”, disse.

Como vencedora de concurso de beleza, Katherine sabe o que é, literalmente, ser julgada com base em sua aparência. Ela aproveitou para aconselhar as jovens que lutam pela auto-estima. “Deus usa tudo para sua glória. Até nossa aparência pode ser usada por Deus - pense em Ester. A beleza exterior vai desaparecendo à medida que envelhecemos, mas a beleza interior tem o potencial de crescer e aumentar continuamente”, disse.

“Como podemos nós crescer quando vem às vozes que nós permitimos nos influenciar? Começa com uma narração da beleza e meditar sobre a verdade de que o nosso valor está 100% ligado ao que estamos em Cristo. Somos pessoas feitas à imagem de Deus. Temos a glória de Deus em nós e somos seus amados, finalizou.

veja também