Ex-presidiário vira pastor e resgata pessoas do crime: “Confio no poder do Evangelho”

Kenny Petty foi membro de uma gangue na escola, baleado duas vezes e preso por tentativa de homicídio. Hoje, ele é pastor e tem plantado igrejas na periferia dos EUA.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Segunda-feira, 15 Agosto de 2016 as 2:10

Os pastores Kenny Petty (esquerda) e Kyle Hubbard (direita) juntos lideram a The Gate Church. (Foto: The Gate Church).
Os pastores Kenny Petty (esquerda) e Kyle Hubbard (direita) juntos lideram a The Gate Church. (Foto: The Gate Church).

Jovens pastores como Kenny Petty estão trabalhando duro para plantar mais igrejas e atrair pessoas que cresceram em meio a cultura hip-hop, onde "a música rap, gangues, roupas urbanas, arte, poesia, sofrimento e violência têm moldado nosso povo".

Petty foi membro de uma gangue na escola e foi baleado duas vezes. Ele foi preso aos 19 anos por tentativa de homicídio, mas foi absolvido. Hoje,ao lado do líder cristão e rapper Kyle Hubbard, ele é pastor na igreja “The Gate Church” (Igreja O Portão, em tradução livre) em University City, um bairro pobre em St. Louis, Missouri (EUA). As informações são do site Baptist Press.

"Nossa igreja tem um ambiente natural e produz estilos de vidas distintos", disse Petty. "Para alcançar as pessoas aqui, você tem que ter um real entendimento do cenário urbano, assim vai ganhar credibilidade. Mas a realidade é que quando estamos pregando nas ruas, precisamos ter plena confiança no poder do Evangelho para mudar a vida das pessoas", contou o pastor.

Enquanto ele estava na prisão, um capelão o incentivou a ler o Salmo 51 três vezes por dia, prática que o levou a uma transformação pessoal. "Eu pequei contra Deus e, por isso, eu clamei por misericórdia", disse Petty.

O jovem disse que não sabia muito sobre o cristianismo, mas depois de estudar e crescer, ele começou a entender que a igreja é o plano de Deus para o mundo. "Eu queria ser parte de uma igreja que fosse biblicamente e culturalmente relevante", disse ele sobre a cultura do hip-hop.

O pastor descreve o movimento como uma cultura onde "homens ficam ausentes de casa, meninas jovens ficam grávidas, mulheres criam seus filhos sozinhas, drogas, violência e uma sensação de desesperança".

Seu parceiro no ministério, Hubbard, disse que viu na cultura hip-hop uma oportunidade de levar o Evangelho às pessoas que estão "marginalizadas e empobrecidas", a fim de levar o amor de Cristo à uma geração de pessoas que vivem em desesperança.

O projeto da igreja se divide em quatro grupos que atuam em áreas específicas do bairro. Eles fazem orações e conversam com os moradores para identificar as necessidades de cada um.

"Quando eles entram em nossa igreja, a nossa prioridade é levar os moradores ao discipulado, ensinar a teologia, incentivar a concluir os estudos e prepará-los para entrevistas de emprego. Nós ajudamos todos os homens e fazemos o mesmo com as mulheres", disse Hubbard.

veja também