Expulso de cerimônia por fazer referência a Deus, militar cristão recebe apoio de 92 mil pessoas

Os internautas têm assinado duas petições que exigem que a Base Aérea de Travis (Califórnia / EUA) peça desculpas ao veterano Oscar Rodriguez, depois que ele foi expulso de uma cerimônia oficial por citar o nome de Deus.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 28 Julho de 2016 as 11:27

Sgt, Orcar Rodriguez. (Foto: cnsnews)
Sgt, Orcar Rodriguez. (Foto: cnsnews)

Mais de 90.000 pessoas estão pedindo que a liderança da Base Aérea de Travis (Califórnia / EUA) se retrate com o veterano Oscar Rodriguez, depois dele ter sido retirado à força de uma solenidade oficial de aposentadoria, por mencionar o nome de Deus durante uma cerimônia de dobra de bandeira.

O Conselho de Pesquisa da Família e a Associação da Família Americana entregaram petições dirigidas ao Major General John C. Flournoy e Coronel Raymond A. Kozak, solicitando que eles se desculpem com o sargento mestre superior Rodriguez e Sgt. Mestre Charles Roberson - que estava comemorando sua aposentadoria do serviço ativo em abril, quando Rodriguez foi expulso da sala de cerimônia por vários oficiais uniformizados.

A participação de Rodriguez é frequentemente solicitada para em cerimônias desse tipo, para que ele participe com um discurso militar oficial, usando sua voz imponente. O sargento também opta por utilizar a versão tradicional do discurso que inclui uma referência a Deus.

Em 2005, o governo dos Estados Unidos mudou o discurso de "dobra da bandeira" para remover todas as referências feitas a Deus. Porém alguns alguns membros do serviço militar - como é o caso de Rodriguez - ainda preferem usar a versão tradicional do discurso, que diz: "Vamos orar para que Deus reflita com admiração a vontade de uma nação em suas tentativas para livrar o mundo da tirania, opressão e miséria. Esta é uma nação sob Deus, a qual chamamos, com honra, Estados Unidos da América".

O discurso conclui: "Deus abençoe a nossa bandeira. Deus abençoe nossas tropas. Deus abençoe a América".

Clique no vídeo abaixo para conferir o momento em que Rodriguez é expulso da cerimônia e insiste em continuar com o discurso oficial em seu formato tradicional:

Somando a petição on-line da FRC - que foi assinada por mais de 44.200 pessoas - e a petição da Associação da Família Americana - que foi assinada mais de 47.800 pessoas - o número de assinaturas que apoiam Rodriguez já ultrapassaram a marca de 92.000.

O Instituto 'First Liberty' ameaçou abrir um processo contra a Força Aérea em junho deste ano (2016) por violar a liberdade de expressão e os direitos de liberdade religiosa - tanto de Rodriguez, como a de Roberson.

Pouco tempo depois, a base militar emitiu a seguinte declaração: "Oficiais da Força Aérea pode usar um script cerimônia da dobra de bandeira que que tenham pontos religiosos para cerimônias de aposentadoria. "Além disso, a Secretária da Força Aérea, Deborah Lee James ordenou que o Inspector Geral da Força Aérea investigue o incidente com Rodriguez".

Embora o Instituto 'First Liberty' pareça satisfeito com a resposta à sua carta, a fundação militar 'Religious Freedom Foundation' (FMLR) anunciou em 23 de junho que estava considerando uma ação judicial federal contra a Força Aérea em nome de 14 oficiais da Base da Força Aérea de Travis.

A 'FMLR' argumentou que a declaração da Força Aérea contradiz a sua política oficial, que afirma que se um script for lido durante uma cerimônia de dobra da bandeira, este script precisa seguir o modelo secular (sem as referências a Deus).

 

 

veja também