Faculdade proíbe placas em vestiário para evitar versículos bíblicos

O motivo da proibição alegado pela faculdade é evitar a exposição de versículos da Bíblia nas placas de identificação.

fonte: Guiame, com informações do The Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 10 Fevereiro de 2016 as 11:29

Reprodução
Reprodução

A faculdade de Colorado está proibindo todas as placas de identificação de vestiário em seu ginásio para evitar que as pessoas incluam versos da Bíblia sobre as placas. No ano passado, a School of Mines em Golden foi processada quando se recusou a permitir que um doador incluísse referências a Colossenses 3:23 e Miquéias 5: 9 em uma placa de identificação.

Já na última sexta-feira, 5, a Aliança Liberdade de defesa, que processou a escola sobre a censura das referências bíblicas, retirou oficialmente a sua ação judicial contra a School of Mines. O consultor Sênior da ADF Tyson Langhofer disse em um comunicado que o movimento foi um exemplo de punição coletiva para toda a fala no campus.

"Faculdades públicas são supostamente um mercado de idéias, mas a School of Mines indicou que prefere hostilidade anti-religiosa", afirmou Langhofer. "É ridículo e triste que a escola sentiu a necessidade de punir todos os que participaram no programa, simplesmente porque não podia suportar uma referência bíblica em uma placa. Uma referência que não estava incluindo o texto dos versos", disse.

Em outubro passado o ADF processou a School of Mines em nome do pós-graduado Michael Lucas, que jogou no time de futebol da escola de 1998 a 2002. "Michael Lucas queria a placa para reconhecer uma doação de 2.500 dólares que ele fez para ser inscrito com “Colossenses 3:23"e "Miquéias 5: 9", informou a AP em outubro.

"A School of Mines do Colorado disse que a inclusão dos nomes verso violaria a separação de igreja e estado, de acordo com o processo aberto em Denver no tribunal federal". Lucas argumentou que a escola estava sendo religiosamente intolerante, argumentando que outras placas incluídas frases como "Vai pro inferno” e "Deixe claro o seu whisky".

"A escola inicialmente não imposta nenhuma restrição - ou mesmo orientações - sobre o tipo de mensagem que um doador pode incluir, e contrariamente ao que a escola está discutindo, a Primeira Emenda protege uma simples referência a um versículo da Bíblia", afirmou a ADF.

"É ridículo argumentar que a referência bíblica que não inclui o texto do verso é de alguma forma inadequada, simplesmente porque alguém pode procurá-lo e ver que" Senhor "é mencionado lá", comentou.

Em dezembro, o presidente da School of Mines, Paul C. Johnson enviou para Lucas uma carta informando-o que o colégio tinha optado por remover todas as placas de identificação dos armários. "Na escola, não destinamos as placas ao novo vestiário para que não haja um fórum público de expressão individual. Não acreditamos que alguém poderia razoavelmente afirmar que um vestiário privado seria visto como um espaço público", escreveu Johnson.

"Como resultado, a universidade decidiu cancelar o programa de captação de recursos de futebol para o armário original, e decidiu remover todas as placas existentes e substituí-las por novas placas. Todas as placas foram removidas".

veja também