Felipe Heiderich nega acusações de Bianca Toledo: “Inteiramente falsas”

As acusações contra Felipe foram anunciadas por Bianca na noite desta terça-feira (5) em um vídeo, publicado nas redes sociais. Em tom de tristeza, ela revelou que Felipe era homossexual e cometeu pedofilia contra seu filho, de 5 anos.

fonte: Guiame, com informações de Extra e Ego

Atualizado: Quinta-feira, 7 Julho de 2016 as 11:10

As acusações de Bianca Toledo foram rebatidas pelo advogado de Felipe Heiderich. (Foto: Arquivo Pessoal)
As acusações de Bianca Toledo foram rebatidas pelo advogado de Felipe Heiderich. (Foto: Arquivo Pessoal)

As acusações de Bianca Toledo foram rebatidas pelo advogado de Felipe Heiderich, Leandro Meuser, em sua página do Facebook nesta quarta-feira (6).

“Venho a público informar que as acusações formuladas contra Felipe são inteiramente falsas e que a polícia saberá investigar para ao final esclarecer a verdade. Informamos ainda que não iremos em busca da mídia para promover qualquer de nossos interesses, iremos sim provar a inocência de Felipe nos autos do inquérito policial, confiando no trabalho da Policia e da Justiça”, publicou o advogado.

As acusações contra Felipe foram anunciadas por Bianca na noite desta terça-feira (5) em um vídeo, publicado nas redes sociais. Em tom de tristeza, ela revelou que Felipe era homossexual e cometeu pedofilia contra seu filho, de 5 anos.

No entanto, o caso já vinha sendo investigado desde o mês passado, quando Bianca foi à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima para denunciar Felipe. No dia 23 de junho, a delegada Cristiana Bento oficializou o pedido de prisão do pastor, destacando que “o indiciado demonstrou um alto grau de perversidade”.

Segundo o pedido, que foi endossado pelo Ministério Público, a existência do abuso foi comprovada por laudos técnicos. Avaliações psicológica e psiquiátrica da criança foram feitas por dois profissionais, que constataram que os abusos aconteciam durante o banho do menino.

O juiz da 17ª Vara Criminal, Paulo César Vieira Carvalho Filho, decretou a prisão temporária de Felipe, por 30 dias. O pastor está detido no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, desde terça-feira (5). Ele está isolado em uma cela da Cadeia Pública José Frederico Marques (Bangu 10).

O pedido de habeas corpus feito pela defesa foi negado pela Justiça e, por ora, não há  intenção de entrar com um novo pedido. "Não vamos porque foi o próprio Felipe que se entregou à polícia na última segunda-feira (4). Este habeas corpus negado foi interposto no domingo, antes de ele se apresentar. Agora, vamos deixar a investigação correr. O Felipe está tranquilo. Confiamos que a Justiça será feita e tudo será esclarecido", disse Meuser ao Ego.

Família paterna da criança

O pai da criança, Renato Pimentel, se pronunciou nesta quarta-feira (6) sobre o abuso sexual que o menino teria sofrido. "Nesse momento, todos os meus esforços estão voltados para o bem-estar do meu filho. Não tenho nada formalizado para considerar nesse momento”, disse ele ao Ego.

O tio paterno do menino, Junior Pimentel, revelou ao Extra que houve um afastamento entre a criança e a família do pai desde que a mãe começou a namorar com o pastor, em 2013.

“A gente não tinha mais contato com a criança porque o padrasto era muito complicado. Ele fez com que o meu sobrinho e a mãe mudassem como pessoa. O pai verdadeiro era barrado na portaria e a gente passou a ter que encontrar ele somente com a babá”, disse o tio.

Plenário

O caso foi levado ao plenário pelo senador e pastor Magno Malta (PR-ES). Em seu pronunciamento, o político classificou Felipe como “falso pastor” e sugeriu prisão perpétua ao suspeito.

“Não existe nem padre e nem pastor pedófilo, o que existe é criminoso e bandido que se valeu da vida sacerdotal para se aproximar de maneira fácil de crianças para poder abusar. E quando um pedófilo agride uma criança e ele é pego, ele foi revelado. Se a investigação for justa e profunda haverá de descobrir uma centena de sofrimentos e de lágrimas e sangue ao longo da vida desse desgraçado”, afirmou Magno.

O casamento de Bianca e Felipe aconteceu em outubro de 2013. A partir de então, o casal, líderes do Ministério AME (Aliança Mundial de Evangelização e Ensino), com sede no Rio de Janeiro, passou a dividir sua história de amor em pregações e nos canais que mantinham no YouTube.

veja também