Feriado de Martin Luther King Jr.: 5 coisas que você precisa saber

O feriado nacional inclui um dia de folga da escola e uma chamada à contemplação sobre as questões raciais na América.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 19 Janeiro de 2015 as 5:12

Estátua de gesso, em homenagem a Martin Luther King Jr.
Estátua de gesso, em homenagem a Martin Luther King Jr.

Um homem ajudou a liderar os Estados Unidos da América em uma nova era de relações raciais, liderando a enorme chamada base para a igualdade racial.

Nesta segunda-feira (terceira do mês), os norte-americanos celebram o dia em memória ao Dr. (e pastor) Martin Luther King Jr. O feriado nacional inclui um dia de folga da escola e uma chamada à contemplação sobre as questões raciais na América.

Abaixo estão cinco fatos sobre o feriado, as maneiras como as pessoas celebram, e como, em pelo menos um estado, neste dia, nem sempre é feita a associação entre o líder e os direitos civis.

1. Uma tentativa bipartidária
Em novembro de 1983, o presidente republicano Ronald Reagan assinou o feriado em lei, que estabeleceu o terceiro domingo de janeiro como a data para a observância.

De acordo com o projeto de lei, que foi patrocinado pelo senador democrata Ted Kennedy de Massachusetts, a primeiro observância era para ser realizada em 1986.

2. Um esforço apoiado pelo Estado
Anos antes de o governo federal estabelecer um feriado em homenagem ao Dr. King, vários estados já haviam passado a fazer menções aos direitos civis neste dia.

Em 1973, o Estado de Illinois aprovou uma lei para designar um dia para celebrar a vida do Dr. King. Até 20 de Janeiro de 1986, que foi a primeira observância Federal do Dia MLK, 17 Estados já haviam promulgado férias para lembrar o famoso líder dos direitos civis.

3. Um feriado compartilhado
O Sul dos EUA, onde a carreira de Dr. King sobre os direitos civis ocorreu enfaticamente, nem sempre foi totalmente receptivo à observância.

Na Comunidade de Virginia 1986-2000, sul do estado, comemorava-se o "Dia de Lee Jackson King", acrescentando celebrações em honra aos generais confederados Robert E. Lee e Thomas "Stonewall" Jackson.

Finalmente em 2000, a Comunidade dividiu os dois feriados, dando ao Dr. King seu próprio dia e mantendo respeito ao Dia de Lee Jackson para a mesma semana.

4. Um dia de Serviço
Enquanto muitos feriados no calendário federais estão associados a festas, banquetes, e compras, Dia MLK tem sido conhecido por ser o "Dia de Serviço."

De acordo com a ampla mensagem de serviço encontrada no movimento dos direitos civis, as comunidades em todo os Estados Unidos usam o dia para esforços voluntários.

O Estado da Philadelphia possui o maior desses dias de serviço, após ter realizado o Grande Dia de Martin Luther King, por duas décadas.

5. Um feriado em crescimento
Embora seja um feriado bastante "jovem" (se visto em nível nacional), especialmente em comparação com o Natal, Dia de Ação de Graças, e o Dia Memorial, a participação no Dia MLK tem vindo a aumentar desde 1986.

De acordo com Philip Walzer do Virginian-Pilot, o número de empresas que dão aos seus trabalhadores o dia de folga tem crescido consideravelmente.

"37% dos empregadores planeja observar o Dia de Martin Luther King Jr. como férias pagas, de acordo com uma pesquisa realizada pela Bloomberg BNA", relatou Walzer.

"Esse é o nível mais elevado até hoje registado pela Bloomberg BNA. 14% disseram que iriam dar aos funcionários um dia de folga em 1986, o primeiro ano em que foi observado como um feriado nacional. No ano passado, o percentual foi de 35%".

 

veja também