Florista cristã que se recusou a prestar serviço para casamento gay é condenada por discriminação

Barronelle Stutzman será provavelmente multada, embora a indenização pedida pelo casal seja determinada em uma data posterior.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 20 Fevereiro de 2015 as 10:40

Uma mulher de Washington que se recusou a fazer arranjos de flores para um casamento gay em 2013 foi recentemente julgada e condenada por discriminação.
 
Segundo o Christian Today relatou, Barronelle Stutzman, que trabalha com flores em Richland (Washington), recusou-se a fornecer os arranjos florais para o casamento de Robert Ingersoll e Curt Freed porque isto iria contra suas crenças cristãs. Após dois anos de processos judiciais, Stutzman foi considerada culpada de discriminação com base na orientação sexual.
 
Stutzman será provavelmente multada, embora a indenização pedida pelo casal seja determinada em uma data posterior.
 
A Aliança pela Defesa da Liberdade representou Stutzman no processo. Uma declaração do grupo disse que os advogados pretendem recorrer da decisão do tribunal.
 
A advogada da Aliança, Kristen Waggoner disse em um comunicado: "Você coloca sua casa, seu negócio de família, e suas economias da vida em risco por se atrever a desafiar uma ordem do governo que o obriga a promover pontos de vista que você acredita que estão errados".

veja também