Grupo de ateus exige retirada de presépio de Natal e Belém responde fazendo um festival natalino

Uma reclamação sobre presépio de Belém levou o tradicional evento de Natal em Belém ser maior que nunca.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 11 Dezembro de 2015 as 1:25

Um Grupo de ateus de Wisconsin, o Freedom From Religion Foundation, enviou uma carta para a cidade de Belém exigindo a remoção de um presépio natalino que mostra o nascimento de Jesus e já é de costume na praça Theresa Tabet. O FFRF promove a separação entre Igreja e Estado.

O prefeito Jerah Cordova, disse que, apesar da ameaça de ação judicial, ele não tinha conhecimento de quaisquer documentos judiciais. "Eles enviaram um par de letras e praticamente a questão ficou somente até este ponto, então estamos bastante satisfeitos com isso", disse Cordova. "Ficamos fortes, pois o que era grande vai continuar sendo feito e como uma comunidade nós vamos continuar a celebrar quem somos", disse o líder.

O prefeito, bem como os pastores que coordenam o evento "Siga a estrela de Belém", disse que os esforços do FFRF saiu pela culatra. Centenas de pessoas lotaram o estacionamento fora da Câmara Municipal para uma recriação de Belém. Havia duas apresentações de uma peça de teatro intitulada "The Nativity", acompanhadas por um coro e orquestra da Primeira Igreja Batista de Los Lunas. Havia estandes de artesanato, bem como algumas dezenas de animais da fazenda, um camelo e pequena zebra.

"Uma das coisas sobre esta organização que eu acho que eles não compreendam plenamente é quando eles enviam uma carta como isso. Tudo o que eles estão fazendo é irritar as pessoas e levá-los a expressar apoio mais do que nunca", disse Cordova.

O pastor sênior da Calvary Chapel Rio Grande Valley, Ray Jaramillo, disse que cerca de 12 pastores de diferentes igrejas da área se uniram para organizar o evento de 2015. Ele disse que a grande resposta foi o resultado da comunidade vendo uma ameaça. "As pessoas estão preocupadas com a sua liberdade de religião e assim, em resposta, estamos tentando nos levantar e dizer que nós não vamos nos esconder, vamos levantar e proclamar aquilo em que acreditamos ", disse Jaramillo.

veja também