"Havia uma resistência demoníaca na cena do ataque", lembra pastor sobre boate de Orlando

Há um ano Landon Schott e outros pastores foram a Orlando para orar pelas famílias das vítimas e feridos do ataque terrorista na boate Pulse, há um ano.

fonte: Guiame, com informações do CharismaNews

Atualizado: Terça-feira, 13 Junho de 2017 as 11:48

O massacre foi o ataque com maior número de mortos nos EUA desde os atentados de 11 de setembro de 2001. (Foto: Reprodução).
O massacre foi o ataque com maior número de mortos nos EUA desde os atentados de 11 de setembro de 2001. (Foto: Reprodução).

Landon Schott é um jovem pastor e exerce um trabalho muito importante para esta geração. Juntamente com sua esposa, Heather, ambos fundaram a “The Rev Ministries” e a “REV TV”, uma plataforma para jovens e adultos que funciona 24 horas por dia, dedicada a transformar o coração das pessoas através de meios de comunicação centrados em Cristo. Ele lembrou que há um ano o mundo se entristecia com o ataque brutal na boate Pulse, em Orlando (EUA).

“Foi há um ano e eu estava embarcando em um voo de manhã para Los Angeles quando vi na televisão o horrível ataque terrorista na Pulse, em Orlando. Meu coração afundou enquanto eu assistia à cenas dos estragos causados ​​pelo ódio e o mal, que se espalhava pelas ruas daquela cidade. Eu terminei meu compromisso ministerial e embarquei no vôo seguinte para Orlando”, escreveu ele em um artigo para o site Charisma News.

“Foi a minha primeira vez em uma atmosfera como aquela. Havia uma resistência demoníaca que aumentava na cena do ataque. Eu podia sentir isso quando voltamos para a Avenida 'Orange'. A polícia bloqueou as estradas, e os repórteres e as câmeras de notícias estavam por toda parte. Era possível sentir espíritos malignos trabalhando naquele local. Eu e alguns amigos do pastor nos encontramos no local do tiroteio e começamos a orar. Não tínhamos uma programação estabelecida, mas simplesmente fomos orar pela cidade e pelas vítimas. Nossa tarefa era levar luz para a escuridão e deixar o amor de Deus iluminar um mundo sombrio”, lembrou.

Ainda existe uma divisão

“À medida que as semanas e os meses passavam, a dor e a confusão ainda continuavam ainda recentes nas mentes das pessoas. O que ficou claro é que a Igreja e a comunidade gay não estavam no mesmo caminho. Ainda existe uma divisão. A comunidade gay quer que a Igreja abandone uma doutrina clara e sólida para abraçar sua orientação sexual, desejos ou preferências”, comentou.

“[Enquanto isso] a Igreja continua a demonstrar falta de amor e compaixão, enquanto olha para aqueles que determinaram ter maior pecado do que os seus. Todos nós somos pecadores que precisam do mesmo Salvador. Devemos começar a abraçar o dilema interno de amar a pessoa que se envolvem no pecado, sem abraçar o pecado. A igreja não fez esse trabalho ao longo dos anos”, alertou.

Landon fundou a “The Rev Ministries” e a “REV TV”, uma plataforma para jovens e adultos que funciona 24 horas por dia. (Foto: Reprodução/Twitter).

"O melhor exemplo disso é o de Jesus, relatado em João 8: 1-11. Uma mulher foi presa no próprio ato do pecado de adultério. Os líderes religiosos estavam prontos para punir seu pecado sexual. Então Jesus entrou!" João 8: 10-11 diz:

“Quando Jesus levantou-se e viu ninguém além da mulher, disse: ‘Mulher, onde estão os seus acusadores? Ninguém condenou você?’ Ela disse: ‘Ninguém, Senhor’. Jesus disse a ela: ‘Eu também não a condeno. Vá e não peques mais”.

“Jesus a encontrou com graça. Havia amor em Sua voz e compaixão em Seus olhos. Ele amava a mulher, apesar de seu pecado sexual, exatamente como ela estava. Jesus não a julgou. Ele não a condenou. Ele simplesmente mostrou a ela o coração do Pai de amor eterno, inflexível e implacável. Então Cristo revelou sua própria mente. Quando Jesus disse à mulher: ‘Vai e não peque mais’, Ele falou a verdade no meio da graça. Jesus é o propiciatório e em Jesus encontramos o exemplo da Graça e da verdade. João 1:14 diz; ‘O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, a glória como o único Filho do Pai, cheio de graça e de verdade’”, ressaltou.

“Somente em Jesus, a graça e a verdade coexistem em perfeita unidade. Esta deve ser nossa mensagem como a igreja. Apesar das suas tentações sexuais ou do pecado sexual, a graça não conhece orientação sexual que não possa alcançar. Devemos todos colocar nosso pecado e vergonha, nossa luta e nossa dor, nossa tentação do passado e do presente aos pés de Jesus, onde a graça satisfaz e a verdade liberta. Esse é o lugar onde deixaremos a vida de todo pecado sexual e viveremos uma vida de liberdade que só se encontra em Jesus”, concluiu.

veja também