Homem que se converteu ao cristianismo morre a facadas em Bangladesh

Hossain Ali, de 68 anos foi abordado pelos homens que praticaram o crime enquanto ele fazia sua caminhada matinal na cidade de Kurigram.

fonte: Guiame, com informações da AFP

Atualizado: Terça-feira, 22 Março de 2016 as 9:18

Membros da associação cristã de Bangladesh participam de cerimônia de homenagem às vítimas de uma explosão de bomba. (Foto: Reuters/ Andrew Biraj).
Membros da associação cristã de Bangladesh participam de cerimônia de homenagem às vítimas de uma explosão de bomba. (Foto: Reuters/ Andrew Biraj).

Um homem que havia se convertido ao cristianismo foi morto a facadas por pelo menos dois agressores nesta terça-feira (22), no norte de Bangladesh. O local está marcado pelo fato de membros de minorias religiosas serem, recentemente, atacados por supostos islamitas.

Hossain Ali, de 68 anos foi abordado pelos homens que praticaram o crime enquanto ele fazia sua caminhada matinal na cidade de Kurigram. Segundo as informações da polícia local, os agressores cortaram seu pescoço.

Tobarak Ulla, o chefe da polícia do distrito de Kurigram, revelou mais informações sobre o ocorrido. "Morreu na hora. Os agressores lançaram um coquetel molotov para semear o pânico e deixaram o local de moto", disse à agência de notícias AFP.

Ainda de acordo com a polícia, Ali se converteu do islã ao cristianismo em 1999. A segurança não informou se o ataque foi lançado por islamitas. O ataque não foi reivindicado.

Cenário intenso

Nos últimos meses, vários supostos islamitas, em alguns casos anunciando formar parte da organização jihadista Estado Islâmico (EI), reivindicaram ataques contra convertidos ou contra muçulmanos sufis, xiitas ou ahmadis no país.

Em novembro de 2015, a Justiça de Bangladesh condenou à morte de quatro pessoas pelo linchamento de uma criança que aconteceu em julho do mesmo ano no norte do país. O caso foi motivo de grande revolta depois que um vídeo com as torturas que o menor sofreu foi divulgado nas redes sociais.

De acordo com informações, a tribunal de Sylhet, cidade onde aconteceu a morte, condenou os agressores por assassinato e ocultação de provas da morte de Samiul Rajon, de 13 anos. Entre os condenados está Kamrul Islam, que depois de cometer o crime fugiu à Arábia Saudita e posteriormente foi extraditado.

veja também