"A Igreja deve renovar a sua ligação com a sociedade", diz Bispo TD Jakes

Escrevendo para o jornali "Huffington Post", o pastor disse que a Igreja deve responder às mudanças demográficas do país e à forma do cristianismo no Ocidente.

fonte: Guiame, com informações do Huffington Post

Atualizado: Quinta-feira, 7 Maio de 2015 as 12:02

TD Jakes é pastor da igreja "Potter's House", em Dallas (TX).
TD Jakes é pastor da igreja "Potter's House", em Dallas (TX).

Pastor da mega-igreja "Potter's House", em Dallas (TX), o bispo TD Jakes pediu que a Igreja na América "encarne a própria definição de unidade".

Escrevendo para o jornali "Huffington Post", o pastor disse que a Igreja deve responder às mudanças demográficas do país e à forma do cristianismo no Ocidente.

Ele destaca o aumento de grupos minoritários, a crescente polarização do debate político e o declínio no número de pessoas que frequentam as igrejas na América e na Europa, em contraste com o crescimento da Igreja na África e na Ásia, e pergunta: "como a igreja encontra relevância no mercado de ideias concorrentes?".

"Olhando para o futuro, fica claro que a Igreja de 2025 não pode ser um monólito cultural ou fazer das 11 horas na manhã de domingo, a hora mais segregada da semana", escreveu Jakes.

Em resposta a esta situação, Jakes sugere que os cristãos devem dar o exemplo de unidade e amar como Cristo nos amou. Ele exorta a Igreja a "combater os feudos ideológicos com relação ao racismo, doutrinas, sexualidade e outras discussões".

"No passado, a igreja tinha sido o epicentro da mudança cataclísmica", escreve ele, referindo-se ao compromisso da Igreja com a justiça social e reforma educativa, acrescentando que a Igreja "deve renovar a sua ligação à sociedade".

Jakes refere-se a 1 Coríntios 09:22, que diz: "Tornei-me tudo para todos os homens, para que eu possa por todos os modos, salvar alguns".

Se os cristãos devem seguir o Apóstolo Paulo, ele disse que buscava compreender aqueles de diferentes origens e estar preparado para uma nova geração com diferentes expectativas culturais.

Ele conclui que o que pode salvar a Igreja de tornar-se desligada da sociedade é o "altruísmo sacrificial, amor incondicional", que deve incluir envolver significativamente com aqueles que "não se parecem conosco ou não adoram e não votam como nós".

 

 

veja também