Igreja Metodista Unida ordena sua primeira bispa lésbica nos Estados Unidos

A decisão da Igreja Metodista Unida 'Glide Memorial', em San Francisco tem gerado polêmica por contrariar uma decisão oficial da denominação, que já expressava a reprovação à homossexualidade.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 19 Julho de 2016 as 2:30

Rev. Karen Oliveto tem 58 anos e foi nomeada bispa da Igreja Metodista Unida, nos EUA. (Foto: UMC)
Rev. Karen Oliveto tem 58 anos e foi nomeada bispa da Igreja Metodista Unida, nos EUA. (Foto: UMC)

Uma questão polêmica surgiu na Igreja Metodista Unida dos EUA (UMC), depois que delegados da Conferência Jurisdicional Ocidental desafiaram na última sexta-feira (15), a proibição da homossexualidade na Igreja, conforme regra já votada em assembleia anteriormente, para eleger a Rev. Karen Oliveto, como sua primeiro bispa assumidamente gay.

"Eu acho que neste momento eu tenho um vislumbre do reino de Deus. Quero agradecer aos candidatos com quem concorri nestes últimos dias, pela a graça com a qual nós caminhamos uns com os outros. E sei que estou diante de vocês, por causa do trabalho e das orações de tantos, especialmente os santos que esperavam para viver o dia de hoje, que abriram caminho onde não havia nenhum", disse Oliveto, de 58 anos, depois de sua eleição, de acordo com um relatório da Igreja Metodista Unida.

A Jurisdição Ocidental da Igreja Metodista Unida engloba as oito conferências regionais ocidentais dos Estados Unidos: a Conferência Alaska, a Conferência Califórnia-Nevada, a Conferência da Califórnia-Pacífico, a Conferência Sudoeste do Deserto, a Conferência Oregon-Idaho, a Conferência Pacífico-Noroeste, a Conferência das Montanhas Rochosas e a Conferência Yellowstone.

Oliveto, que é pastora sênior da Igreja Glide Memorial em San Francisco, é casada com Robin Ridenour, que é diaconisa na Conferência California-Nevada da Igreja Metodista Unida dos EUA.

Ela foi eleita na reunião quadrienal da jurisdição em Scottsdale, Arizona (EUA), com 88 votos, após o Rev. Dottie Escobedo-Frank e o Rev. Walter Strickland retirarem-se da eleição, de acordo com o relatório da UMC. O Rev. Frank Wulf - outro candidato que também assumiu sua homossexualidade - também tinha retirado seu nome da concorrência pelo cargo no mesmo dia da eleição.

Karen agradeceu aos delegados da Jurisdição ocidental "que se atreveram a viver neste momento Kairos".

"Hoje demos um passo mais para perto de encarnar a amada comunidade e enquanto nós pode estar nos movendo para, mas não estamos lá ainda. Estamos caminhando para a perfeição", disse a bispa recém-eleita.

Ela também argumentou que, enquanto as pessoas "andam pelas igrejas e querem saber se são pertencentes [às suas comunidades] por causa da raça, orientação sexual, etnia, classe social ou status de imigração".

A decisão da Igreja Metodista Unida 'Glide Memorial', em San Francisco tem gerado polêmica por contrariar uma decisão oficial da denominação, que já expressava a reprovação à homossexualidade.

Reagindo à notícia de sexta-feira, o Bispo Bruce R. Ough, presidente do Conselho dos Bispos da Igreja Metodista Unida, disse em um comunicado que a eleição "suscita preocupações significativas".

"A jurisdição Ocidental elegeu a Rev. Karen Oliveto, da Igreja Metodista Unida 'Glide Memorial', em San Francisco para servir como bispa da Igreja Metodista Unida. A Rev. Oliveto tem sido descrita como uma sacerdotisa 'assumidamente lésbica'. Esta eleição levanta preocupações significativas e questões de política e unidade da Igreja", disse ele.

"Ser homossexual praticante auto-declarado é uma ofensa para qualquer clérigo da Igreja Metodista Unida, se é esse o caso", continuou ele.

"Há aqueles na igreja que vão ver essa eleição como uma violação da lei da Igreja e um passo significativo em direção a uma divisão, enquanto há outros que celebrarão a eleição como um marco em direção a 'ser uma igreja mais inclusiva'. Outros irão, sem dúvida, perguntar como nós nos encontramos em um lugar onde nunca estivemos. Ainda assim, outros provavelmente vão ver essa eleição como uma contestação da finalidade dos trabalhos da Comissão atualmente, formada pelo Conselho", acrescentou.

Karen Oliveto é 'casada' com com Robin Ridenour, que é diaconisa na Conferência California-Nevada da Igreja Metodista Unida dos EUA. (Foto: Facebook)

O Christian Post relatou em Janeiro que a Comunhão Anglicana votou para suspender o apoio da Igreja Episcopal ao casamento gay. Da mesma forma, a Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos PCUSA tem visto um rápido declínio no número de membros após a maioria dos presbitérios da denominação votarem para mudar em seu Livro Oficial, as definições sobre o casamento, de modo a incluir casais do mesmo sexo.

A 'Associated Press' informou no início deste ano, que, em Maio, o principal órgão de decisão política da Igreja Metodista Unida, também "negou uma revisão completa de toda a lei da UMC sobre a sexualidade" - o que na opinião da maioria dos representantes presentes seria um passo para o reconhecimento da casamengo gay dentro da denominação.

Enquanto alguns dos membros mais progressistas da Igreja elogiaram a decisão dos delegados da igreja 'Glide Memorial' em desafiar as regras da denominação, elegendo Oliveto, o reverendo Rob Renfroe, presidente da 'Good New', uma organização evangélica não-oficial da Metodista Unida, que defende a posição da Igreja sobre questões da homossexualidade contestou a nomeação da bispa.

A eleição de Oliveto, bem como outras ações da conferência anual da UMC neste verão ignoraram a a proposta do Conselho dos Bispos sobre uma comissão para examinar todas as leis da igreja sobre como lidar a sexualidade humana, disse Renfroe.

O Conselho da proposta Episcopal, disse ele, pediu uma "pausa de oração para a etapa de volta de tentativas de soluções legislativas e buscar intencionalmente a vontade de Deus para o futuro".

"Em vez disso, estas conferências avançaram com atos legislativos, prometendo uma desconformidade com o Livro de Disciplina da Igreja, que culminou na eleição de uma homossexual praticante como bispa", disse Renfroe. "Se a Jurisdição Ocidental quisesse empurrar a igreja à beira do abismo, ela não poderia ter encontrado uma forma mais certa de fazê-lo".

veja também