"A Igreja não deve ceder", diz Rick Warren sobre o casamento gay

Falando na conferência "Humanum", com o Papa Francisco, em Roma, o escritor do best-seller "Uma Vida com Propósitos" e pastor da Igreja Saddleback, na Califórnia defendeu enfaticamente o casamento tradicional.

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 19 Novembro de 2014 as 11:52

"A Igreja não deve ceder", diz Rick Warren sobre o casamento gay"O casamento só pode ser entre um homem e uma mulher", disse Rick Warren disse em uma audiência no Vaticano, na última terça-feira, 18/11.

Falando antes da conferência "Humanum", com o Papa Francisco, em Roma, o escritor do best-seller "Uma Vida com Propósitos" e pastor da Igreja Saddleback, na Califórnia defendeu enfaticamente o casamento tradicional.

"A Bíblia diz que você tem que honrar o casamento. Infelizmente, hoje todos nós sabemos que o casamento é desonrado por um monte de gente. É desprezado como arcaico, uma tradição feita pelo homem. Ele é denunciado como um inimigo das mulheres ... é humilhado em filmes e na televisão, sendo mostrado como algo amedrontador, que vai limitar sua liberdade pessoal. Então, hoje, em vez de ser homenageado, o casamento é ridicularizado, rejeitado e 'redefinido", disse ele.

"O que vamos fazer sobre isso? A Igreja não pode se esconder em silêncio ... os riscos são muito altos".

Warren argumentou que Deus revela a sua presença e seu caráter através do casamento e que a ideologia de gênero "confunde a nossa identidade e destrói nossa dignidade". O pastor ainda lembrou que a aliança do casamento e do ato sexual andam de mãos lado a lado com o relacionamento íntimo com Deus.

Ele, portanto, salientou a importância de seguir o ensinamento de Jesus sobre o casamento, em vez de ceder às "modas, sentimentos, opiniões ou o que é considerado politicamente correto".

"Nós construímos nossas vidas na verdade de maneira imutável na Palavra de Deus", disse Warren. "Você vê, a verdade ainda é verdade, não importa quantas pessoas duvidem disso. Eu posso negar a lei da gravidade, mas isso não muda a gravidade. E só porque nós quebramos as leis de Deus, isto não as torna inválidas", alertou.

"A mentira não se torna uma verdade, o errado não se torna certo e o que é mau não se torna bom só porque é popular. A verdade é sempre verdade", acrescentou.

Warren encorajou aqueles reunidos para celebrar casamentos saudáveis: "Temos de ser defensores do que é certo, e não apenas um adversário do que está errado", disse ele. "Celebrar, destacar e honrar o casamento, creio eu, é a melhor defesa, quando você precisa mostrar às pessoas o que é real".

Ele também insistiu que os cristãos devem "enfrentar os 'atacantes' com alegria e um amor cativante".

"Sim, há uma batalha cultural em fúria, mas a Bíblia diz que não usamos as armas deste mundo, e você vence o mal com o bem. Bendizei os que vos maldizem. Esses atacantes não são o inimigo, eles são o campo de missão - eles são pessoas pelas quais Jesus derramou seu precioso sangue", disse ele.

No entanto, o cerne da sua mensagem era que a Igreja deve permanecer forte em seus valores, e continuar a defender o ensino tradicional do casamento e da relação homem-mulher, apesar das pressões culturais. "Deve levar a multidão, não segui-la", ele insistiu.

"A única maneira de estar sempre relevante, é ser eterno", disse Warren. "Nenhuma revolução vai durar, incluindo a revolução sexual... cada mentira, eventualmente, desmorona sob o seu próprio engano. Culturas sobem e descem, elas vêm e vão, mas a palavra de Deus e da Igreja de Deus permanecem. O que estou dizendo é não é necessário estar no lado da cultura - não é sequer necessário estar no lado certo da história. É apenas importante estar no lado correto".

"A história mostra que a maioria estava muitas vezes errada. Lembra-se de Hitler? As latas de lixo da história estão repletas de sabedoria convencional de culturas que se revelaram falsas, e na verdade não é decidido por um concurso de popularidade".

Concluindo sua fala, Warren apontou para o capítulo cinco de Efésios, no qual o casamento é descrito como um reflexo do amor de Cristo pela Igreja.

"Este é o significado mais profundo do casamento. Este é o propósito mais profundo do casamento, e esta é a razão mais forte pela qual o casamento só pode ser entre um homem e uma mulher", disse ele.

"Não há nenhum outro relacionamento, incluindo a relação entre pais e filhos, que pode representar esta união íntima. Para redefinir o casamento seria preciso destruir a imagem que Deus criou para ele, e não podemos recuar sobre esta questão. É a imagem de Cristo e sua Igreja".

Concluindo, o líder norte-americano destacou a importância da igreja se manter firme com relação aos princípios bíblicos, pois esta precisar testemunhar sobre Cristo.

"Nunca desista. A Igreja não pode ser sal e luz em uma cultura em ruínas se nós recuarmos diante da revolução sexual, e se não formos capazes de fornecer um testemunho contra-cultural. A ideia de que devemos comprometer e desistir de verdade bíblica e do casamento a fim de evangelizar é um mito total", alertou.

"No final, temos de ser misericordiosos para com os caídos, temos que mostrar a graça ao que está lutando contra o pecado, temos que ter paciência com as dúvidas, mas quando a palavra de Deus é clara, não devemos, não podemos recuar, baixar a cabeça ou apenas ceder.

"A Igreja nunca deve ser cativada pela cultura, manipulada pelos críticos, motivada por aplausos, frustrada por problemas, debilitada por distrações ou intimidada pelo mal. Temos que manter a corrida com o nosso olhar sobre a meta, e não sobre os gritos do lado da linha. Devemos ser guiados pelo Espírito Santo, com propósito e, por isso, que não podemos ser comprados, não vamos parar até que termine a corrida focada em missões", finalizou.

Com informações do Christian Today

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também