Igreja retrata um viciado em drogas na figura de Jesus, em campanha da Páscoa

Os principais personagens são encenados por pessoas que se converteram a fé em Jesus Cristo recentemente, através da igreja The Saturday Gathering, em Halifax, na Nova Escócia.

fonte: Guiame, com informações de The Telegraph

Atualizado: Quarta-feira, 23 Março de 2016 as 12:15

Ex-viciado em drogas toma o lugar de Jesus em uma propaganda da Igreja da Inglaterra. (Foto: YouTube/JustPray)
Ex-viciado em drogas toma o lugar de Jesus em uma propaganda da Igreja da Inglaterra. (Foto: YouTube/JustPray)

Usando uma coroa de espinhos feita de seringas, um ex-viciado em drogas toma o lugar de Jesus em uma propaganda da Igreja da Inglaterra. O objetivo é aproveitar a Páscoa para atrair pessoas que não seguem o cristianismo.

Depois de viver anos na prisão e se converter, Rob Jones, de 46 anos, é quem faz a atuação principal no curta-metragem. Ele aparece ao lado de uma ex-bruxa convertida, que atuou em outros vídeos que fizeram parte da campanha “Just Pray” (“Apenas Ore”) da igreja.

O filme é baseado no texto do Salmos 22, que se inicia com a frase dita por Jesus na cruz: “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?”

Os principais personagens são encenados por pessoas que se converteram a fé em Jesus Cristo recentemente, através da igreja The Saturday Gathering, em Halifax, na Nova Escócia.

Na cena mais importante, Jones é agarrado por uma multidão e recebe uma coroa feita de tubos de plásticos e seringas, usadas por viciados em drogas. Em seguida, outra cena gravada em uma igreja mostra uma mensagem alegre e colorida sobre a ressurreição.

"Eu não morri, mas eu sinto como se tivesse sido ressuscitado de uma vida crime e dificuldade para viver a paz, o amor, a compreensão e a calma", disse Jones.

Depois de ser expulso de casa aos 15 anos, Jones passou por uma série de detenções. Após se tornar um usuário de drogas pesadas, ele passou a morar nas ruas. Mas sua vida finalmente mudou em um culto na Igreja Metodista Ebenezer em Halifax, numa tarde de sábado.

"Este filme é um testamento do triunfo da fé e da esperança sobre a luta contra o vício, a falta de moradia, a prisão. A Páscoa é um lembrete de que o sofrimento não tem a última palavra, e que o amor é mais poderoso do que a sepultura”, disse o Rev. Arun Arora, diretor de comunicação da Igreja da inglaterra.

"À medida que a Igreja em todo o mundo celebra a Páscoa, queríamos fazer um filme que destacasse as histórias de pessoas que passaram por sofrimentos e hoje vivem a alegria da Páscoa pela fé em Jesus", completou Arora.

Dentro da campanha "Just Pray", que faz parte da estratégia da Igreja para se adaptar à era digital, a denominação teve um de seus filmes censurados em novembro do ano passado.

O anúncio publicitário que promove o poder da oração nas salas de cinemas do Reino Unido foi recusado pelas três maiores redes de cinema do Reino Unido: Odeon, Vue e Cineworld, que controlam 80% das telas de cinema do país. Segundo as empresas, o anúncio poderia "trazer o risco de perturbar ou ofender o público".

veja também