"A Igreja Universal nunca participou do meu trabalho como deputado", diz George Hilton

Em entrevista, o novo ministro falou sobre política, religião e comentou também, recentes declarações dadas por ele, afirmando "não ser um profundo conhecedor dos esportes".

fonte: Guiame, com informações da UOL

Atualizado: Terça-feira, 20 Janeiro de 2015 as 8:48

George Hilton chegou a afirmar recentemente, que não é um profundo conhecedor dos esportes
George Hilton chegou a afirmar recentemente, que não é um profundo conhecedor dos esportes

Nomeado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o Ministério do Esporte, o deputado George Hilton falou recentemente sobre os seus trabalhos na Igreja Universal do Reino de Deus (onde é pastor) e na política.

Em entrevista, o novo ministro comentou também recentes declarações dadas por ele, afirmando "não ser um profundo conhecedor dos esportes".

"A gestão pública requer vivência na área politica e nós queremos que o esporte no Brasil seja fundamentado na gestão pública, que dê toda estrutura necessária e que é inerente ao poder público", disse.

Já quando questionado sobre possíveis participações da Igreja Universal em sua gestão política, Hilton destacou que esta possibilidade está fora de cogitação.

"Igreja Universal nunca participou do meu trabalho como deputado. A igreja é local onde exerço minha crença e a minha fé. Igreja funciona como um local onde eu posso praticar a minha religiosidade. O trabalho parlamentar sempre focou a defesa ao cidadão, independentemente do seu credo", frisou.

"Igreja tem uma função que extrapola o esporte, trabalha em todas as áreas e o ministro reconhece esses valores, porém a política que será praticada aqui será a política da presidenta Dilma Rousseff.

Hilton ainda comentou que não haverá nenhum tipo de favoritismo com relação a projetos que envolvem o esporte - seja promovido por alguma igreja ou qualquer outra instituição.

"A igreja tem que dar a contribuição dela no campo dela, lá, dentro do templo. Aqui, é o ministro George Hilton que tem, sobretudo, foco em programa de governo que precisa disseminar o esporte não só da igreja, mas de outras instituições, que podem ser parceiras", destacou.

Escândalo no passado
Durante a entrevista, o escândalo que envolveu o seu nome em 2005 também foi citado. Na época, o parlamentar havia sido flagrado no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, carregando 11 malas de dinheiro, junto ao então vereador Carlos Henrique Silva (PL-MG).

"O George Hilton em 2005 estava em pleno recesso parlamentar, pastor evangélico, de forma voluntária, atendendo ao serviço da igreja, de entrega de doações, e que foi abordado, mas estava documentado e, portanto, foi liberado e sem que isso gerasse nenhum processo. Portanto, um homem religioso, que estava a serviço da sua fé e que isto em nada afeta o cidadão público e o deputado que continua aí durante o trabalho de excelência. O George Hilton de 2005 e o de agora continua sendo um servidor do país. Uma vida ilibada, sem nenhum processo, sem nada, e continua sendo um entusiasta de uma política que seja para o bem da sociedade brasileira", disse.

veja também