Igrejas recebem mais de 3 mil dólares para investir em proteção contra terrorismo

Os números mostram que mais de 6 mil crimes de ódio têm sido relatados à polícia desde meados de Junho. Neste ano, houve um aumento de 20% em comparação com o mesmo período em 2015.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 26 Julho de 2016 as 12:31

As estatísticas mostram que 10% dos jovens foram vítimas de crimes de ódio relacionadas com a fé. (Foto: Reuters).
As estatísticas mostram que 10% dos jovens foram vítimas de crimes de ódio relacionadas com a fé. (Foto: Reuters).

Igrejas e outros locais de culto na Europa receberão mais de 3 mil dólares para medidas de segurança devido a uma sequência de um aumento nos crimes de ódio. O financiamento é parte de uma série de novas medidas nas questões de segurança, promovidas pelo governo. O plano de ação contra crimes de ódio foi anunciado nesta terça-feira (26) por Amber Rudd, secretário da casa.

Mesquitas, sinagogas e outros edifícios religiosos serão beneficiados pelo fundo a ser usado para "medidas de segurança". O plano foi apresentado no dia em que um padre foi morto enquanto celebrava a missa na França. O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque.

Sob o plano, Rudd deverá pedir uma analise sobre como as forças policiais devem responder aos crimes de ódio. O governo também vai trabalhar com as escolas para lidar com o abuso. Serão dados a professores e alunos "novas ferramentas" e um programa para ajudar os educadores a "facilitar as conversas" quando incidentes terroristas acontecerem.

Os números mostram que mais de 6 mil crimes de ódio têm sido relatados à polícia desde meados de Junho. Neste ano, houve um aumento de 20% em comparação com o mesmo período em 2015. As estatísticas mostram que 10% dos jovens foram vítimas de crimes de ódio relacionadas com a fé e 8% dos crimes foram motivados pelo ódio racial.

A taxa diária atingiu o pico no dia 25 de junho, um dia após o resultado em que o referendo foi anunciado. "Este Governo está determinado a construir uma Grã-Bretanha que funcione para todos”, disse Rudd.

"Aqueles que praticam o ódio e que enviam uma mensagem favorável ao abuso e ataque violento por causa de sua nacionalidade, origem étnica ou religiosa. Isso é favorável para desconsiderar os nossos valores partilhados e promover a intolerância que causa enormes danos às comunidades e indivíduos”, pontuou.

"Bem, eu tenho uma mensagem muito clara para eles. Nós não vamos ficar por isso. O ódio não tem lugar no século 21, na Grã-Bretanha”, comunicou. "Somos a Grã-Bretanha, porque estamos unidos por valores como a democracia, liberdade de expressão, o respeito mútuo e oportunidades para todos. Nós somos a soma de todas as nossas partes - uma sociedade diversificada onde o ódio não tem lugar. E faremos tudo que pudermos para eliminá-lo", disse.

veja também