Igrejas se unem em oração após ataque matar idosa e ferir 5 pessoas, em Londres

Igrejas dos arredores da estação 'Russell Square' (Londres) estão expressando sua solidariedade e também convidado as pessoas à oração, afirmando que estão de portas abertas para quem precisar de apoio.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2016 as 11

Corpo da senhora assassinada no ataque é retirado da cena do crime, nos arredores da estação 'Russell Square'. (Foto: Telegraph)
Corpo da senhora assassinada no ataque é retirado da cena do crime, nos arredores da estação 'Russell Square'. (Foto: Telegraph)

As igrejas de Londres (Inglaterra) têm convocado as pessoas à oração, depois que uma mulher americana de pouco mais de 60 anos de idade foi morta a facadas e cinco outras pessoas ficaram feridas na noite da última quarta-feira (3), em um ataque, próximo à estação de metrô de Russell Square, na região central da capital inglesa. A polícia ainda não fala em ataque terrorista.

Um rapaz de origem somali e naturalizado norueguês, de 19 anos de idade, foi preso sob suspeita de ter cometido o crime, depois começou a fazer buscas na cidade. A polícia disse que o "ataque foi espontâneo" e que "não há evidência de radicalização" ou de que o homem foi "de alguma forma, motivado pelo terrorismo".

Igrejas da região da Russell Square estão expressando sua solidariedade e também convidado as pessoas à oração, afirmando que estão de portas abertas para quem desejar apoio.

A Igreja Batista Bloomsbury disse em uma publicação de seu perfil oficial do Twitter nesta quinta-feira pela manhã: "Nossas orações estão com todos aqueles afetados pelo incidente de ontem à noite, na Russell Square".

"Nossa igreja permanece aberta e acolhedora para todos, à medida que procuramos viver a paz de Cristo no coração de Londres", acrescentou.

O reitor Holborn da igreja de St George foi "chamado com urgência" para voltar de uma viagem e um porta-voz disse que a igreja também está "aberta e pronta para responder a qualquer necessidade".

"Falamos com outros vigários locais e estamos esperando que possamos nos unir e permanecer abertos à oração durante todo este tempo", disse o líder cristão ao site 'Christian Today'.

veja também