Imagens da abertura do Mar Vermelho são encontradas em mosaicos raros, em Israel

As relíquias retratam a imagens dos animais em pares e soldados do Faraó sendo engolido por um grande peixe.

fonte: Guiame, com informações de Daily Mail

Atualizado: Quinta-feira, 14 Julho de 2016 as 2:24

Os mosaicos decoram o chão de uma sinagoga do quinto século, numa época em que o Império Romano governava a área. (Foto: Baylor/Jim Haberman)
Os mosaicos decoram o chão de uma sinagoga do quinto século, numa época em que o Império Romano governava a área. (Foto: Baylor/Jim Haberman)

Em escavações feitas em uma antiga sinagoga ao norte de Israel, especialistas encontraram mosaicos que retratam imagens da divisão do Mar Vermelho e da Arca de Noé. De acordo com os pesquisadores, as cenas são extremamente raras, já que nenhum outro artefato que comprove esse contexto foi encontrado.

Os mosaicos decoram o chão de uma sinagoga do quinto século, numa época em que o Império Romano governava a área. Os mosaicos foram removidos do local para serem conservados.

Quatro universidades estão envolvidas no projeto de escavação em Huqoq, incluindo as Universidade Baylor, a Universidade da Carolina do Norte, a Universidade Brigham Young e a Universidade de Toronto.

As relíquias retratam a imagens dos animais em pares, incluindo elefantes, leopardos, burros, cobras, ursos, leões, avestruzes, camelos, ovelhas e cabras. Junto com isso, os mosaicos exibem soldados do Faraó sendo engolido por um grande peixe, com carros virados, cavalos e motoristas em torno deles.

"Essas cenas são muito raras em sinagogas antigas", disse Jodi Magness, diretor das escavações e professor na Universidade da Carolina do Norte. "Os únicos outros exemplos que foram encontrados estão em Gérasa, na Jordânia, Mopsuéstia, na Turquia, Khirbet Wadi Hamam, em Israel e Dura Europos, na Síria".

As escavações se iniciaram em 2012, quando os pesquisadores encontraram os primeiros mosaicos na sinagoga. Foi encontrada uma imagem que retrata Sansão com as raposas e outra com Sansão carregando o portão de Gaza em seus ombros, juntamente com uma inscrição em hebraico cercada por figuras humanas, animais e criaturas mitológicas.

Os pesquisadores planejam continuar as escavações no próximo ano.

veja também