Indiano convertido ao cristianismo é torturado e deixado como morto por radicais hindus

Gold explicou que ele suportou cerca de três horas de espancamentos e torturas. Ele acrescentou que um dos homens prendeu uma vara em sua boca, enquanto outros dois extremistas o seguraram para baixo, sentado em seu peito.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2016 as 12:17

Extremistas hindus na área de Tewardih, Varanasi sequestraram o cristão de 30 anos chamado Joginder Gold. (Foto: Reuters / Danish Siddiqui).
Extremistas hindus na área de Tewardih, Varanasi sequestraram o cristão de 30 anos chamado Joginder Gold. (Foto: Reuters / Danish Siddiqui).

Um indiano que se converteu ao cristianismo e se recusou a parar de adorar Jesus Cristo foi sequestrado, torturado e deixado como morto por um grupo de radicais hindus no estado indiano de Uttar Pradesh. O caso foi relatado por um monitor de perseguição cristã.

Extremistas hindus na área de Tewardih, Varanasi sequestraram o cristão de 30 anos chamado Joginder Gold após frequentes exigências para que ele e sua família parassem de adorar Cristo. Gold disse ao Morning Star News que os extremistas o sequestraram em torno das 11h em 9 de Abril, enquanto ele estava indo para o mercado vender legumes.

De acordo com um líder da área de uma igreja, o Rev. Patsy David que falou com o Morning Star News, os seis radicais hindus acusaram Gold de roubar vegetais de sua fazenda. Gold negou a acusação e disse que ele poderia levar os homens até o vendedor que lhe vendeu os legumes para provar que não cometeu um roubo.

Um dos Hindus contou a Gold que ele iria levá-lo para o vendedor e disse-lhe para ficar na parte traseira de sua moto. Em vez de levar Gold para o vendedor, o radical levou para a fazenda dos hindus".

"Eles me amarraram de cabeça para baixo em uma árvore e abusaram verbalmente de mim pela minha fé em Cristo e começaram a me bater nas solas dos meus pés", disse Gold ao Morning Star News.

Gold explicou que ele suportou cerca de três horas de espancamentos e torturas. Ele acrescentou que um dos homens prendeu uma vara em sua boca, enquanto outros dois extremistas o seguraram para baixo, sentado em seu peito. Ele lembrou que vomitou pelo menos três vezes antes de perder a consciência.

David disse que os radicais hindus assediam há muito tempo Gold e sua família por causa de sua fé. "Nos últimos dois anos, eles tentaram implicar Joginder Gold em um caso falso e disse-lhe para parar de adorar Cristo ou ele iria pagar por isso", disse David, um membro do clero masculino.

David acrescentou que os extremistas devem ter pensado que Gold morreu porque eles o jogaram em um poço e cobriram o corpo dele com palhas e folhas. Felizmente, uma testemunha levou Gold para sua casa e notificou a família de Gold e também a polícia.

Mais tarde, ele foi levado para um hospital público pela polícia. "Os ferimentos que sofreu na sola dos seus pés eram tão graves que afetaram as veias em sua cabeça e ele sofria uma severa dor de cabeça, juntamente com dor intensa no peito, coxa, braço, nádegas, costas e panturrilha esquerda", disse David ao Morning Star News.

Embora a polícia tenha levado ele para o hospital, inicialmente tomaram pouca ação depois que uma queixa legal foi arquivada por um líder cristão local, de acordo com David, que explicou que a polícia fez perguntas sobre a legalidade da conversão de Gold para o cristianismo.

Gold disse à polícia que ele deu a sua vida a Cristo há oito anos atrás, depois de ver como Jesus ajudou a curar sua irmã e testemunhar os outros membros da sua família colocar a sua confiança em Cristo.

Em vez de fazer perguntas sobre o assalto e sequestro, a polícia estava mais focada em quando Gold se converteu em no que ele se converteu. Embora pareça que a polícia local tenha feito pouco caso, eles garantiram aos líderes cristãos que uma investigação de alto nível foi lançada e serão tomadas medidas contra os autores.

A Morning Star News relata que Gold foi transferido para um hospital particular após seis dias de tratamento e teve alta do hospital após 20 dias. Ele não foi inicialmente capaz de falar e deste a sexta-feira passada (6) ainda não foi capaz de andar normalmente.

veja também