Israel resgata 19 judeus que eram alvos de perseguição no Iemem

A operação, que terminou na madrugada desta segunda-feira, visava resgatar os últimos integrantes da comunidade judaica do Iêmen, uma das mais antigas do mundo.

fonte: Guiame, com informações da AFP

Atualizado: Segunda-feira, 21 Março de 2016 as 11:27

Os recém-chegados deixaram para trás um cenário de intensa guerra civil no Iêmen. (Foto: Reprodução).
Os recém-chegados deixaram para trás um cenário de intensa guerra civil no Iêmen. (Foto: Reprodução).

Foram resgatados os últimos 19 judeus que estavam no Iêmen depois de uma "operação secreta e complexa" para retirá-los do país devastado pela guerra. As informações são da Agência Judaica de Israel que liberou a informação nesta segunda-feira, 21. A agência trabalha juntamente com o governo e tem ligação com os judeus ao redor do mundo.

Ao longo dos últimos dias, os judeus desembarcaram em Israel. Neste grupo havia um rabino que carregava um rolo da Torá de 500 anos. Nos últimos anos, centenas de judeus do Iêmen chegaram a Israel, mas a maioria dos recém-chegados poderia marcar o fim desta imigração. De acordo com a agência, os 50 judeus restantes no Iêmen querem ficar no país.

Natan Sharansky , o presidente da Agência Judaica ressaltou que o atual momento é bastante importante para Israel. "Este é um momento muito significativo na história de Israel", disse.

Detalhes de um cenário intenso

Pelo fato da missão ser sigilosa, a Agência Judaica não revelou muitos detalhes da operação, caracterizada como uma "missão secreta e complexa". Mas, sabe-se que a missão foi chamada de "Miktze Teiman", uma frase em hebraico tirada de um versículo bíblico que traduzida significa "a partir das extremidades do Iêmen".

Os recém-chegados deixaram para trás um cenário de intensa guerra civil no Iêmen e uma série de ataques anti-semitas no país, que de acordo com a Agência Judaica, coloca em risco a comunidade.

Segundo a agência, as judeus que optaram por ficar no Iêmen vivem principalmente na capital, Sanaa, onde eles moram em uma local fechado para a embaixada dos EUA e desfrutam da proteção das autoridades iemenitas. Cerca de 50 mil judeus chegaram a Israel do Iêmen desde 1949.

Antes dos conflitos

A comunidade judaica no Iémen contava com cerca de 50 mil pessoas até ao ano 1959. Eles viviam em paz e harmonia com os seus vizinhos muçulmanos, mas elementos dos radicais islâmicos têm recentemente prejudicado essa boa relação.

veja também