Jesus revela a escuridão a fim de dissipá-la

A religião com seu legalismo judicialista oprime sem pena seus adeptos como forma de manipulação e controle pela culpa - é a morte da dignidade em suicídio existencial contra toda liberdade requerida em Cristo. A mulher samaritana era uma religiosa!

fonte: Guiame, Bruno Brandão

Atualizado: Domingo, 14 Fevereiro de 2016 as 10:04

Por que a mudança abrupta de Jesus na conversa com a mulher samaritana no Poço de Jacó em Jo 4? Por que de uma hora pra outra, Ele meio que sai do tema "coisas do coração" para uma confrontação, a princípio, "moral"? Não teria sido Ele "invasivo" demais quebrando a amistosidade do diálogo, passando a questionar sobre sua vida particular, pessoal ou "oculta" da mulher e sem quaisquer milindres? O que você acha?

Uma possibilidade: a religiosidade mata ou pelo cinismo ou pela culpa.

No primeiro caso, a religião é especialista em criar hipócritas mentirosos, que com a aparência de piedade camuflam seus pecados escondendo-os por detrás de suas "mascaras douradas" - é a morte da verdade na alma contra toda possibilidade de mudança real e novo nascimento em Cristo.

No segundo caso, a religião com seu legalismo judicialista oprime sem pena seus adeptos como forma de manipulação e controle pela culpa - é a morte da dignidade em suicídio existencial contra toda liberdade requerida em Cristo. A mulher samaritana era uma religiosa!

De um lado cínica, com talvez uma "meia-culpa", do outro oprimida pela religião, daí estar a esta hora do dia a tirar água do poço... Sua vida dupla, sua ignorância sobre a origem do messias e sua identidade, sua confusão quanto à geografia da adoração, seu apego ao poço e aos antepassados (tradição como dogma, lei, prisão), seu não discernimento sobre a água que mata a sede da alma, enfim, revelam isso.

Por tais motivos, Jesus a confronta com todo amor, sem mais tempo a perder (por vezes não há muito tempo a perder), com o que a mantinha ainda distante e cega diante de Deus, a saber, seu pecado! (Is 59.2 "Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus").

Para que os que costumam generalizar as confrontações com o pecado reputando-as como legalismo, farisaísmo, judicialismo, eis um bom exemplo de "quando" e "como" ela cabe e tem seu efetivo lugar... Aliás, se a Luz não brilhar inequivocamente e sobre toda treva, jamais haverá salvação.

A Luz que é Jesus, revela a escuridão que existe em cada alma humana e isso para dissipá-la. Este é o nosso grande problema e foi, justamente, por esta razão que Ele veio: Convencer o homem do seu pecado e em toda a graça, dele salvá-lo! Por isso Ele é o Salvador que mediante o arrependimento, nos constrange à toda necessária redenção!

veja também