Jhohn Scotland, do Ministério Catch The Fire, fala sobre o cenário da igreja em alguns pontos do mundo

Para Scotland, ‘fogo’ é a palavra que define o movimento da igreja no Brasil.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 24 Fevereiro de 2015 as 7:45

Pastor Jhohn Scotland, que faz parte do Ministério Catch The Fire, durante a Escola Profética, conduzida pelo Ministério Joel Engel, em Campinas(SP).
Pastor Jhohn Scotland, que faz parte do Ministério Catch The Fire, durante a Escola Profética, conduzida pelo Ministério Joel Engel, em Campinas(SP).

 

Avivalistas de diversas partes do Brasil e do mundo fizeram parte da Escola Profética, conduzida pelo Ministério Joel Engel, em Campinas(SP). O Pastor Jhohn Scotland, que faz parte do Ministério Catch The Fire, falou com exclusividade ao GUIAME suas experiências nas igrejas do Brasil, Coréia e Inglaterra.

Para Scotland, ‘fogo’ é a palavra que define o movimento da igreja no Brasil, um pouco diferente do que acontece na Coréia. “Eu fui até a Coréia depois de ir para o Brasil, no ano passado. [Percebi que] os brasileiros são apaixonados pelo fogo. Já os coreanos, pela intercessão.”

Uma característica peculiar na igreja brasileira é a grande participação dos jovens, conta o avivalista. “Isso é muito bom, porque é o tempo do Brasil, para que a igreja cresça aqui. Por isso que eu vim pra cá.”

“É importante que as gerações mais velhas encorajem e edifiquem os que são jovens. Em todo o mover de Deus, os jovens sempre tem estado na frente”, incentiva.

A Europa, que já foi berço de um grande avivamento conduzido por John Wesley, no geral, tem vivido um tempo de frieza espiritual. No entanto, Scotland, que é inglês, explica que a igreja tem se movimentado para pequenos grupos cristãos.

“Na Inglaterra, há um mover que está acontecendo fora do que chamamos de igreja, que está se voltando para grupos pequenos. As pessoas estão cansadas de igrejas sem a presença de Deus. Em muitas igrejas, os cultos não passam de programas”, explica.

 

 

 

veja também