Joana Prado fala sobre tempos de 'Feiticeira': "Entrava no camarim e chorava de soluçar"

Em uma conversa um tanto 'informal', Joana Prado fez revelações sobre o que a levou a deixar de trabalhar com a personagem 'Feiticeira' (sucesso no final dos anos 90 e começo de 2000). "Aprendi a administrar, mas me fazia mal", disse.

fonte: Guiame, com informações do IG

Atualizado: Quinta-feira, 11 Fevereiro de 2016 as 1:16

Na última quarta-feira (10), Vitor Belfort e Joana Prado receberam o apresentador Gugu Liberato em sua casa e tiveram a oportunidade de falar sobre sua fé, profissões, passado e presente.

Em uma conversa um tanto 'informal', Vitor Belfor falou sobre o seu sucesso e suas derrotas como lutador de UFC e Joana Prado também fez revelações sobre o que a levou a deixar de trabalhar com a personagem 'Feiticeira' (sucesso no final dos anos 90 e começo de 2000).

"Nos primeiros programas, quando o Luciano [Huck] me chamava, eu entrava perdida. Eu era uma menina também. Quando voltava, ia pro camarim e chorava de soluçar! Eu ouvia o que eu queria e o que não queria. Aprendi a administrar, mas me fazia mal", disse.

"Me vi interpretando uma personagem que não fazia parte dos meus sonhos. Tem mulher que sonha em ser símbolo sexual, em ser famosa, mas eu nunca quis isso", contou.

Segundo ela, a fase em que ganhou fama com a personagem 'Feiticeira' fez parte de um momento em que ainda não tinha sua vida transformada por Jesus.

"Arrependimento é você não repetir o mesmo erro. Fez parte da minha história. Foi um momento em que eu era solteira, não tinha um relacionamento com Jesus, não tinha meus filhos. Não me arrependo, mas não faria de novo", afirmou.


Boas experiências
A empresária que atualmente se declara evangélica, junto ao seu marido, Vitor Belfort, afirmou que a televisão também lhe trouxe boas experiências, das quais ainda sente falta.

"Sinto falta de poder ajudar, de fazer um trabalho de prestação de serviço. Pode entrar na casa e transformar a vida das pessoas. Foi uma experiência que eu aprendi demais!", contou Joana, lembrando que trabalhou como repórter do programa Note & Anote, da rede Record.

veja também