Judeus são aconselhados a evitar o uso de quipá em áreas muçulmanas na Alemanha

Setenta anos depois do Holocausto, o antissemitismo continua sendo uma questão sensível na Alemanha e em outros países europeus.

fonte: Guiame, com informações de Religion News Service

Atualizado: Quinta-feira, 26 Fevereiro de 2015 as 6:12

Judeus reunidos em uma sinagoga, utilizando seus quipás sobre a cabeça.
Judeus reunidos em uma sinagoga, utilizando seus quipás sobre a cabeça.

 

Josef Schuster, um líder da comunidade judaica na Alemanha, aconselhou os judeus a não usarem o quipá em áreas com grande população muçulmana. Esse aviso reforça a crescente onda de antissemitismo na Europa, que revela o preconceito ou hostilidade contra judeus.

Schuster, que é líder do Conselho Central de Judeus, disse a uma rádio alemã que os judeus não devem se esconder por medo, e que a maioria das instituições judaicas na Alemanha foram protegidas. Porém, em algumas áreas, é melhor que eles não sejam reconhecidos.

"A questão é saber se, em áreas com uma grande proporção de muçulmanos, é sensato ser reconhecido como um judeu usando um quipá, ou se é melhor usar alguma outra forma de cobertura para a cabeça", disse Schuster.

Schuster manifestou sua preocupação com um novo antissemitismo, provocado a partir dos políticos de extrema direita até a hostilidade de jovens muçulmanos. “É um pouco chocante”. 

Antissemitismo na Europa

Setenta anos depois do Holocausto, o antissemitismo continua sendo uma questão sensível na Alemanha e em outros países europeus, incluindo a França e a Grã-Bretanha.

O número de crimes antissemitas aumentou mais de um terço no ano passado, de acordo com números do governo. Os crimes incluem vandalismo de cemitérios judaicos, pichação em sinagogas e incitação do ódio contra os judeus.

Alguns políticos alemães e judeus culpam a violência no Oriente Médio pelo aumento do antissemitismo. Uma pesquisa revela que de 15 a 20% dos alemães têm visões antissemitas.

 

 

 

veja também