Líder de gangue se converte após ver Deus agir em seu julgamento: "Dei tudo para Ele"

David Washington cresceu nas ruas de Chicago e se envolveu com gangues e drogas. Prestes a ser condenado a 15 anos de prisão, ele reconheceu Cristo e se arrependeu.

fonte: Guiame, com informações do The Gospel Coalition

Atualizado: Quarta-feira, 22 Fevereiro de 2017 as 2:41

Sendo o quinto filho de seis, David foi membro de uma das maiores gangues de rua. (Fonte: Covenant Church)
Sendo o quinto filho de seis, David foi membro de uma das maiores gangues de rua. (Fonte: Covenant Church)

No ano passado, em Chicago, centenas de jovens negros tiraram suas armas e se mataram. A cidade viu 762 assassinatos, mais do que Nova York (334) e Los Angeles (294) e muito mais do que o registro de 2015 (485). Grande parte da violência foi impulsionada pela atividade de gangues nos lados Sul e Oeste da cidade.

Alguns especulam que a crescente violência foi causada, em parte, por uma força policial enfraquecida depois que um vídeo onde um policial branco atira 16 vezes em Laquan McDonald,um jovem de 17 anos foi publicado na internet. Outros apontam para razões de longo alcance, incluindo as “consequências não intencionais” de derrubar prédios onde as gangues se reuniam.

Mas no meio do caos, pastores negros estão fazendo a diferença. Alcançando os bairros, alimentando os famintos e executando programas para crianças. A igreja negra está sendo sal na cidade.

Um desses pastores é David Washington, que ora com as pessoas e distribui material escolar nas ruas. Ele cresceu no violento bairro de South Side em Roseland. Na verdade, ele costumava dirigir uma gangue e vender drogas lá.

Agora, seis meses depois de plantar uma igreja em Roseland, David está aproveitando seu passado para traçar um caminho para o futuro. "David tem os recursos externos necessários para liderar", disse David Swanson, diretor de plantação de igrejas da Igreja Evangélica da Aliança. "Ele está fazendo isso incrivelmente bem", ressaltou.

Toda a história de David Washington - desde sua conversão à maneira ousada de levar Deus às ruas - é "uma extensão da graça de Deus", disse o diretor.

Crescendo perigosamente

Sendo o quinto filho de seis, David foi membro de uma das maiores gangues de rua, no lado sul de Chicago, quando ele fazia a terceira ou quarta série. Na época em que ele estava na sexta série, ele estava “desrespeitando” outras gangues. No ensino médio vieram os combates e tráfico de drogas.

Em casa, a família de David frequentava a igreja, mas não praticavam o que a Bíblia ordenava. Quanto mais ele se envolvia com as gangues, menos ele frequentava a igreja. E quanto menos ele ia à igreja, mais sua mãe e seu pai "buscaram a Deus para me salvar".

Mas quando tinha 19 anos, David estava gastando muito dinheiro por dia em seu vício em drogas. Além disso, ele foi alvo de morte por mais de uma gangue rival. Pior ainda, ele estava sendo julgado por roubo a mão armada e uso ilegal de uma arma, enfrentando uma possível sentença de 15 anos.

Salvação

Um dia antes de David ir ao tribunal para se declarar culpado e ser condenado, sua gangue deu uma festa. "Foi uma festa de despedida", disse ele. "Mas quando você faz esse tipo de festa, você não tem certeza que está voltando para casa”, disse. Pesado com pensamentos de sua própria mortalidade, David olhou ao redor da sala.

"Eu estava olhando para essas pessoas, que eu pensava que eram meus irmãos - pessoas que eu estaria disposto a ir para a prisão, para dar a minha por eles. E Deus me revelou que esta festa não era realmente sobre mim, e nenhum deles realmente se preocupava comigo", disse ele. "Eu podia ver os caras tentando ficar com minha namorada", lembrou.

Então David saiu. Ele foi para casa. "Eu tive essa experiência de me olhar no espelho e dizer, 'Você jogou toda a sua vida fora e para nada’”. Agnóstico na época, David fez um acordo com Deus. "Se você está aí em cima, se você me ouvir, eu tentei tudo o que posso pensar. É hora de você tentar. Você é o único que pode me tirar dessa situação. Se você existe, se você pode me tirar dessa situação, eu vou ler a minha Bíblia”.

Mas, David disse a Deus, "se você não puder me tirar de lá em 12 meses, você não existe". No dia seguinte, o oficial de condicional de David não compareceu ao tribunal. Nem o oficial de prisão. Nem a vítima - um membro da gangue rival.

O juiz descartou o uso ilícito de David, sobre uma carga de armas e baixou o segundo para simples roubo. Em seguida, ele o condenou a um ano de prisão preventiva intensiva, seguido por dois anos de liberdade condicional e cerca de 200 horas de serviço comunitário.

Deus é real

"Eu estava convencido de que Deus era real depois disso", disse Washington. "E uma vez convencido, não havia volta. Eu dei a Deus tudo o que eu tinha". Com medo, ele foi para casa. E um dos telefonemas que recebeu foi de um pastor da Igreja Batista Salem, perguntando se ele gostaria de ir para um retiro de homens.

"Isso mudou minha vida", disse ele. Ele se tornou próximo do pastor Harvey Carey, e acabou fazendo seu serviço comunitário em Salem. "Eles me contrataram depois", disse ele. "Eu nunca voltei a usar drogas", contou.

David passou nove anos na equipe da Oakdale Covenant Church, a maior congregação afro-americana das Igrejas Evangélicas de Pacto da América. "Ele realmente tem uma santa ousadia", disse Sutton, que trabalhou com David na equipe. "Seu grupo de jovens fez coisas radicais como ter evangelismo à noite, e muitas pessoas vieram a Cristo. Tivemos um estudo bíblico, e sob sua liderança esse estudo dobrou de pessoas", pontuou.

Então Deus levou David para Roseland para plantar uma igreja. Em agosto, a Igreja do Pacto do Reino começou a se reunir formalmente.

veja também