Líder de um ministério na Flórida, Pastor brasileiro fala sobre o cenário da igreja nos EUA

Pastor Clewson Oliveira, brasileiro que à frente Ministério Apascentar, na Flórida, contou ao GUIAME detalhes que formam o cenário da igreja americana.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 18 Março de 2015 as 10:01

Pastor Clewson Oliveira, líder do Ministério Apascentar, na Flórida, EUA.
Pastor Clewson Oliveira, líder do Ministério Apascentar, na Flórida, EUA.

 

Desde o ano passado, as notícias sobre os Estados Unidos têm refletido a construção de um cenário cada vez mais claro: aceitação do casamento gay pela igreja, a deturpação da liberdade de expressão religiosa, o crescimento de fundações ateístas e um governo que apoia instituições que perseguem os cristãos.

Durante a Escola Profética, que aconteceu no último mês, o Pastor Clewson Oliveira, brasileiro que está nos Estados Unidos há aproximadamente 30 anos à frente Ministério Apascentar, na Flórida, contou ao GUIAME detalhes que formam o cenário da igreja americana.

GUIAME: Como você enxerga o cenário da Igreja nos Estados Unidos?

Clewson Oliveira: O avivamento nos Estados Unidos está em regiões. Aqui no Brasil está espalhado, em todos os lugares. Lá existem focos de avivamentos, grandes igrejas estruturadas. Mas o dinamismo e a alegria que tem no Brasil é um pouco diferente. A impressão que eu tenho é que aqui no Brasil está mais generalizado, mais aberto. É uma grande benção ver o que Deus está fazendo aqui no Brasil.

GUIAME: Os Estados Unidos têm vivido um tempo de frieza, e fundações ateístas têm se levantado com força. Você acredita que isso, de uma certa forma, atinge a Igreja americana?

CO: Esses movimentos de ateísmo crescem quando a igreja se esfria. Eles tem tomado força porque a Igreja tem se esfriado nos Estados Unidos. Mas, ao mesmo tempo, Deus tem levantado homens e mulheres com uma visão e uma busca intensa. O pastor Benny Hinn é um destes – ele tem feito um grande trabalho em todo o país; eu já fui em mais de 15 cruzadas feitas por ele nos Estados Unidos –, e Deus tem levantado um povo. Só que o tempo em que a igreja se esfriou, deu lugar a esses movimentos. Mas eu acredito em um reavivamento espiritual para os Estados Unidos, porque é um povo muito aberto para o mover de Deus.

GUIAME: O histórico político dos Estados Unidos é totalmente relacionado com o cristianismo. Você acredita que isso se mantém no país?

CO: Se mantém, porque a formação do país lá na base, é evangélica. Dos 52 senadores que participaram da formação da constituição dos Estados Unidos, 50 eram cristãos que frequentavam igreja. Existe uma foto, em um museu de Washington, que mostra os senadores reunidos preparando a constituição americana, e eles estavam de joelhos dobrados. Então o país, em sua base, é evangélico. Por isso que um político, um presidente ou uma autoridade atual não consegue destruir isso de uma vez por todas, porque na base o país é cristão, ele tem esses princípios. Então, eu acredito que esta base cristã fez com que os Estados Unidos espalhasse o avivamento pelo mundo inteiro. Eu acredito que Deus irá dar mais uma oportunidade para os Estados Unidos. Essa é a nossa oração. Muitas igrejas tem se levantado nos EUA com essa visão.

GUIAME: Qual a reação da igreja com a atuação do Estado Islâmico e com a afronta direta do grupo contra os Estados Unidos?

CO: A igreja tem se posicionado de forma que nós estamos orando, mas também estamos agindo – em missões e trabalhos filantrópicos. Nestes países, as igrejas não aparecem na mídia, mas são as primeiras a estarem na Síria. Há alguns dias, uma missionária americana de 26 anos foi assassinada pelo Estado Islâmico, durante uma missão. A resposta dos Estados Unidos é militar. A resposta da igreja é missões e evangelismo. Tem pastores dos EUA viajando para o Oriente Médio, fazendo cruzadas frequentes lá. Então acho que a igreja está respondendo isso, com oração, com missões, e os Estados Unidos fazem seu trabalho militar, defendendo o país.

 

 

veja também