"Vencedores vencem dores", diz Luiz Hermínio em encontro de líderes

O apóstolo Luiz Hermínio, líder do ministério MEVAM, falou sobre "remição" durante o segundo Café Com Pastores em São Paulo.

fonte: Guiame, Luana Novaes

Atualizado: Sexta-feira, 22 Julho de 2016 as 3:32

Luiz Hermínio, líder do ministério MEVAM, durante o segundo Café Com Pastores em São Paulo. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)
Luiz Hermínio, líder do ministério MEVAM, durante o segundo Café Com Pastores em São Paulo. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

"Às vezes pensamos que vencedores são aqueles que conquistam. Mas vencedores são aqueles que vencem dores".

Com essas palavras, o apóstolo Luiz Hermínio, líder do ministério MEVAM, deu início à sua pregação durante o segundo Café Com Pastores realizado em São Paulo, na manhã desta quinta-feira (21).

Centenas de pastores e líderes de diversas denominações estiveram presentes na Igreja Verdade & Vida, liderada pelo pastor Djalma Toledo  amigo e parceiro ministerial de Hermínio.

De acordo com o apóstolo, pessoas vencedoras são marcadas por Deus. "São homens que, às vezes, têm mais cicatrizes do que diplomas. Essa geração não precisa de pregadores, mas de vencedores  remidores que vão deixar um legado", disse ele.

Se aprofundando no tema da remição, Hermínio explica que tudo no mundo espiritual tem um preço. "Se alguém não pagar, outra pessoa terá que remir. Por isso, é importante que você descubra quais áreas da sua vida e da sua família  precisam ser remidas. Jesus desceu na Terra para remir e tomar o que era Dele."


Luiz Hermínio durante o segundo Café Com Pastores em São Paulo. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

Com base no trecho bíblico de 1 Pedro 3:19-20, que afirma que Jesus Cristo "foi e pregou aos espíritos em prisão, os quais, noutro tempo, foram desobedientes", Hermínio fala sobre a obra redentora no Antigo Testamento.

"Eu nunca entendi porque Deus, no Velho Testamento, mandava matar a cidade inteira, de idosos a crianças. Mas quando eu leio que Jesus desceu e pregou aos espíritos em prisão, eu acho que Deus estava limpando a terra, porque aquelas pessoas teriam a oportunidade um dia de ouvir Jesus", disse o apóstolo. "Todo aquele povo que morreu no Velho Testamento teve a oportunidade de ouvir a Jesus."

O foco dessa geração não deve ser o de ter uma igreja bem sucedida, mas sim, de ser remidora. No entanto, Luiz aponta que muitos não querem ser como sementes que morrem para si mesmas.

"Essa é uma geração de remidores, uma geração de lágrimas. Vamos ao púlpitos contar sobre as nossas mazelas, sobre os nossos fracassos, para que a igreja não coloque expectativas em nós, e sim em Cristo. Nós vamos contar os nossos defeitos, e as pessoas vão nos conhecer fora do altar. A semente tem que morrer e você é uma semente. Se desarme de tudo, não tenha medo de voltar à estaca zero e recomeçar", incentiva o apóstolo.


Luiz Hermínio e Djalma Toledo são amigos e parceiros ministeriais. (Foto: Guiame/Marcos Paulo Correa)

Por outro lado, Hermínio esclarece que Deus não trabalha pra suprir necessidades, mas sim, pra cumprir propósitos. "Jesus não veio à Terra porque ela precisava, Ele veio porque Deus amou o mundo. Deus faz por amor, Deus faz por propósitos".

"Não estou dizendo que você não deve servir a multidão", disse o apóstolo. "Sirva a multidão, mas não pare na necessidade dela. Ouça a multidão, mas não pare na opinião dela. Abençoe a multidão, mas não pare na idolatria dela. Chore pela multidão, mas não pare na dor dela. Se alegre com a multidão, mas não pare na festa dela. Se você parar na multidão, você não vai chegar na Cruz  e tem coisas no seu ministério que só acontecem depois da cruz."

"Você só se torna um remidor depois da cruz. Depois da cruz, você não vai ser conhecido apenas na terra, o inferno e os céus também vão conhecer você", conclui Hermínio.

O próximo Café com Pastores em São Paulo está marcado para acontecer no dia 24 de agosto, às 9h, na Igreja Comunhão Cristã Verdade & Vida.

veja também