Marcelo Crivella: "Não há povo menos homofóbico que o evangélico"

"O que os evangélicos querem é o direito de se expressar e dizer que o homossexualismo é pecado, como diz a Bíblia", afirmou Crivella

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 7 Agosto de 2014 as 5:04

Marcelo Crivella: "Não há povo menos homofóbico que o evangélico"Candidato ao governo do Rio de Janeiro pelo PRB, o bispo Marcelo Crivella - licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus - participou de uma sabatina promovida pela UOL, Folha de São Paulo e SBT, nesta quinta-feira, 07/08.

Durante a entrevista, falou-se em homofobia e os rumores de que ele teria sido acusado de atitudes homofóbicas.

"Por eu ser evangélico, acham que eu, ou os evangélicos, somos homofóbicos. Não tem povo menos homofóbico que o evangélico. O que os evangélicos querem é o direito de se expressar e dizer que o homossexualismo é pecado, como diz a Bíblia", afirmou Crivella.

Ao ser questionado por uma das jornalistas presentes sobre o fato de citar a homossexualidade como pecado já ser um julgamento em si, Crivella rebateu.

"O pecado é uma coisa de cada um, da crença de cada um. Eu sou pecador. Todos nós somos pecadores", afirmou.

Sabatinas
Crivella é o terceiro dos quatro principais candidatos ao governo a passar pela sabatina. Na última quarta-feira, (06), Anthony Garotinho (PR) participou da entrevista. Na terça (5) foi a vez do petista Lindberg Farias. O atual governador e candidato à reeleição, Luiz Fernando Pezão (PMDB), fecha o ciclo de sabatinas na sexta (8).

Com informações da UOL.com.br

veja também