Marisa Lobo é intimada a depor em julgamento no Conselho de Psicologia do PR

A audiência se realizará na próxima sexta-feira, 16/05, às 17h, na própria sede do Conselho Regional de Psicologia do Paraná.

fonte: Guiame

Atualizado: Sábado, 10 Maio de 2014 as 2:25

Marisa Lobo é intimada a depor em julgamento no Conselho de Psicologia do PR

Na última sexta-feira, 09/05, a psicóloga Marisa Lobo recebeu uma intimação do Conselho de Psicologia do Paraná, para comparecer ao julgamento do Processo Ético Disciplinar, n. 028 - 2011 (acima) e depor, respondendo a acusações feitas pela Comissão de Orientação e Fiscalização do CRP.

A audiência se realizará na próxima sexta-feira, 16/05, às 17h, na própria sede do Conselho Regional de Psicologia do Paraná.

As acusações são semelhantes em março de 2012 e também em abril de 2013: infrações que ferem o código de ética da psicologia - como proselitismo religioso, porém a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) já julgou as notificações feitas pelo Conselho de Psicologia do Paraná como abusivas e inconstitucionais, ferindo o direito de liberdade religiosa.

Falando com exclusividade ao Portal Guiame, a profissional desabafou e relacionou a intimação ao importante momento político / social no qual está militando pelos valores da família e contra a legalização de entorpecentes.

"O conselho é inquisidor , e oportunista. Não acredito que justamente quando estamos discutindo sobre ideologia de gênero e estatuto da familia, o conselho queira me julgar. Ainda mais depois de um bom tempo sem me dar resposta, quando eu perguntava sobre o processo", destacou.

Marisa disse que apesar da difícil situação em que se encontra, já imagina qual o caminho que este caso tomará, ganhando novamente o caráter de um ato de perseguição religiosa.

"Estou tranquila, porque se me cassarem vão declarar esta perseguição. Se não, vão concordar comigo. Então o mais provável é que façam uma censura pública, na qual onde me obrigarão a negar tudo que acredito... e se eu não acatar a esta ordem, irão mover outro processo de cassação definitiva", afirmou.

A psicóloga finalizou o seu depoimento, expressando que Deus tem lhe dado paz, mesmo sabendo da angústia pela qual pode passar.

"Como pessoa fico angustiada sim, e minha profissão que amo me dediquei anos de minha vida esforço, sem falar no financeiro... Mas Jesus, o Deus que acredito faz com que este pequeno sacrifício valha a pena, porque não é nada comparado ao qual Ele fez por mim".

Por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também