Metade dos pastores acreditam que o Anticristo ainda está à caminho, diz pesquisa

A visão de que o “Anticristo virá no futuro” é fortemente defendida por 83% dos pentecostais e 75% dos batistas. Pastores luteranos, metodistas e presbiterianos estão menos propensos a acreditar nisso.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 28 Abril de 2016 as 4:19

Embora Anticristo seja entendido como um termo do livro do Apocalipse, a palavra aparece apenas na primeira e segunda carta de João. (Foto: Reprodução)
Embora Anticristo seja entendido como um termo do livro do Apocalipse, a palavra aparece apenas na primeira e segunda carta de João. (Foto: Reprodução)

Quem é o Anticristo? Ao longo da história, surgiram muitos candidatos ao cargo, incluindo Pedro I da Rússia, Napoleão Bonaparte, Adolf Hitler e Josef Stalin. Surpreendentemente, muitas pessoas hoje acreditam que o Anticristo possa ser o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ou a presidenciável Hillary Clinton.

Independentemente do candidato mais provável, a maioria dos pastores acreditam que o Anticristo é uma figura real, mas irá surgir em algum ponto no futuro, de acordo com uma pesquisa realizada pela LifeWay Research, encomendada pela Convenção Batista do Sul.

Enquanto isso, 12% dos pastores dizem que não existe um Anticristo individual, 14% defendem que ele é uma personificação do mal e 7% diz que ele é uma instituição. Outros 6% acreditam que o Anticristo já esteve aqui.

A visão de que o “Anticristo virá no futuro” é fortemente defendida por 83% dos pentecostais e 75% dos batistas. Pastores luteranos, metodistas e presbiterianos estão menos propensos a acreditar nisso.

O que diz a Bíblia?

Estudiosos da Bíblia apontam que o "Anticristo", como o apresentado no notório “Deixados Para Trás”, de Tim LaHaye e Jerry Jenkins, não tem embasamento bíblico.

Embora Anticristo seja entendido como um termo do livro do Apocalipse, a palavra aparece apenas na primeira e segunda carta de João (1 João 2:18; 1 João 2:22; 1 João 4:3 e 2 João 1:7). No entanto, o Anticristo também é identificado com "homem do pecado" em 2 Tessalonicenses 2:3-4.

Atualmente, muitos estudiosos da Bíblia são céticos sobre essa forma de abordar as Escrituras. "Todas essas coisas são criadas por uma abordagem de ‘quebra-cabeça’ com as Escrituras, onde diferentes peças são forçadas a se juntarem para formar uma nova imagem", disse o Rev. Dr. Ian Paul ao Christian Today.

De acordo com o estudioso Dr. Marion Carson, se concentrar em um “Anticristo” que ainda está por vir nos distrai de se concentrar em males que estão muito mais perto de nós. Ele explica que se focarmos no Anticristo que virá a se opor à Igreja no futuro, nós não perceberemos sobre os anticristos que já estão à trabalho.

"Faríamos bem em voltar para as cartas de João e atender às advertências sobre o anticristo — resistente a Cristo — dentro da própria Igreja", disse Carson.

"É claro que isso não quer dizer que não existe mal no mundo, e que os cristãos não devem nomeá-lo como tal quando o enxergam. Mas é sempre mais fácil e psicologicamente satisfatório apontar o dedo para os outros do que examinar a nós mesmos", acrescenta Carson.

veja também