Metodista rejeita proposta que levaria à aceitação do casamento gay, nos EUA

Em sua Conferência Geral, a Igreja Metodista Unida (EUA), rejeitou a proposta de um grupo de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT), que alteraria a visão da comunidade, não mais como um grupo, mas sim como "pequenos grupos".

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2016 as 11:50

Membros de igrejas metodistas dos EUA participam de Conferência Anual, em Oregon. (Foto: Facebook)
Membros de igrejas metodistas dos EUA participam de Conferência Anual, em Oregon. (Foto: Facebook)

A Igreja Metodista Unida decidiu se posicionar com relação ao avanço das permissões e reconhecimentos do casamento entre pessoas do mesmo sexo - seja entre fiéis ou pastores - nas igrejas evangélicas.

Em sua Conferência Geral, que está sendo realizada em Portland, Oregon (EUA), a denominação rejeitou - por manifestação majoritária de seus membros - a proposta de um grupo de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT) para alterar o formato do discussões durante a reunião.

Um total de 57% dos 864 delegados que participaram do evento no Centro de Convenções de Oregon, votaram contra a proposta LGBT para mudar a chamada "Regra 44" da igreja, que teria alterado o processo de discernimento de grupo para "pequenos grupos".

Esta parecia ser apenas uma mudança de formato simples, mas foi vista por alguns como um primeiro teste para que a Igreja Metodista avaliasse seu posicionamento sobre a possibilidade de permitir (ou não) que casamentos entre pessoas do mesmo sexo e também a nomeação clérigos homossexuais, tanto do mesmo sexo do que há muito tempo não permitidos.

Já no início da conferência deste ano - que vai estender suas discussões até o dia 20 de Maio - o Bispo Warner H. Brown Jr., presidente do Conselho dos Bispos, já havia se antecipado sobre a questão da homossexualidade.

"Enquanto discutimos nossas opiniões diferentes sobre relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo, podemos nos lembrar que nossos pontos de vista de duelo devem ser ancorados em nosso desejo de sermos fiéis", disse Brown durante o seu sermão, segundo o site 'Religion News Service'.

O debate sobre o Artigo 44 tornou-se tão aquecido que levou a representante Margie Briggs, de Missouri, a dizer: "Eu acredito que nós estamos confundindo Deus neste momento".

Já Dorothee Benz, de Nova York, acredita que a Igreja Metodista não deveria ter rejeitado a proposta do grupo LGBT.

"Eu acho que a Regra 44 é a melhor chance que temos para uma conversa honesta e deixar para trás esse medo de falar sobre pessoas LGBT," Benz também disse Religion News Service.


Igreja Presbiteriana dos EUA
Nos Estados Unidos, a Igreja Presbiteriana (PCUSA) gerou polêmica e chegou a sofrer considerável queda em sua membresia, após reconhecer o casamento gay em seu estatuto.

Em uma entrevista dada anteriormente ao The Christian Post, a presidente do Comitê "Lay Presbyterian", um grupo teologicamente conservador, Carmen Fowler LaBerge chamou a passagem provável de Alteração 14-F de 'trágica, mas não surpreendente".

"A Igreja Presbiteriana (EUA), foi minando ativamente seus próprios fundamentos teológicos para as gerações. Esta votação é simplesmente o resultado de cem anos de desvio progressivo da Verdade", disse LaBerge.

 

veja também