"Militante ateu" é condenado a oito anos de prisão por agredir pastor nos EUA

"Militante ateu" é condenado a oito anos de prisão por agredir pastor nos EUA

Atualizado: Segunda-feira, 14 Abril de 2014 as 9:57

"Militante ateu" é condenado a oito anos de prisão por agredir pastor nos EUAPreso por espancar brutalmente o pastor Norman Hayes, em Ohio, James Maxie , de 28 anos foi condenado a oito anos de prisão.

Maxie denomina-se um "militante ateu" e cometeu o delito no outono de 2013, que foi considerado um "assalto criminoso" pela justiça do Estado.

O pastor Norman Hayes da "Bridge Community Church", em North Hampton disse a jornalistas em outubro do ano passado que, após um culto de domingo na igreja, James Maxie e sua namorada foram falar com ele. Quando Hayes perguntou à mulher se ela estava sendo abusada, o Maxie ficou irritado e deu um soco no chão.

"Ele estava muito, muito chateado porque eu mesmo sugerir que ele iria machucá-la. Então ele se virou e me machucou seriamente", disse o pastor.

Como Hayes estava no chão, Maxie começou a soca-lo repetidamente até que o pastor começou a temer por sua vida. Ele implorou para que o rapaz parasse.

"Foi uma sorte ele ter parado. Eu realmente acredito que a minha vida estava em perigo se ele não tivesse parado de me agredir", confessou.

Após ter agredito o pastor, Maxie fugiu a pé, por um plantação de milho próxima ao local e foi encontrado escondido atrás de uma casa. Ele disse à polícia que ele tinha ido à igreja para buscar a Deus, mas alega que Hayes disse à sua namorada que ela estava "indo para o inferno para namorar o rapaz". Maxie disse que foi aí que cometeu o erro de levar o pastor ao chão.

Hayes teve o nariz quebrado em dois lugares, cortes e hematomas ao redor dos olhos e ouvidos, alguns dos quais precisaram de pontos.

No mês passado, Maxie aceitou um acordo judicial no Tribunal Comum de Fundamentos de Clark County, concordando em se declarar culpado pelo delito em troca de ter a sua pena amenizada. Na última quarta-feira, 10/04, ele enfrentou sua condenação oficial perante o tribunal, recebendo oito anos atrás das grades por seu crime.

"Eu arruinei totalmente minha vida. Minha namorada assistiu aterrorizada ao que. A família da minha namorada sofreu. Minha mãe e meu pai sofreram o constrangimento do que eu fiz", lamentou o rapaz ao ler uma carta perante o tribunal.

Após ouvir a sentença, jornalistas procuraram o pastor, que afirmou não guardar rancor do rapaz e disse que o perdoa.

"Eu quero que ele saiba que eu tenho estendido perdão a ele. [ Perdão ] é um dom. Eu realmente espero que ele aprenda a lição de que a vida não gira em tornoapenas de si mesma, mas também o que eu faço afeta outras pessoas", afirmou Hayes .

A igreja colocou novas medidas de segurança em vigor desde o incidente.

Com informações de ChristianNews.net

*Tradução por João Neto

 

veja também