A morte não cala homens e mulheres que viveram para falar do Evangelho

Não cala porque os frutos que elas geraram para o Reino de Deus são eternos...

fonte: Guiame, Juliana Simioni

Atualizado: Segunda-feira, 4 Maio de 2015 as 2:56

Luto
Luto

Despedidas não são legais, eu nunca gostei, principalmente quando se trata de ter que se despedir de alguém querido que acaba de falecer.

Velórios não são, nem de longe, os ajuntamentos mais agradáveis de participar. Mas na semana passada eu fui a um que eu tinha certeza que seria bonito, e foi.

Muitas pessoas choraram a dor da separação no velório do pastor Miguel Corrêa, grande homem de Deus e um ícone na Igreja Adventista da Promessa. Pastores destacaram o que foi a vida e o ministério desse homem. Seu testemunho, relatado por cada pastor, foi a mensagem.

Momentos como esse me fazem perceber que grandes homens e mulheres de Deus pregam o Evangelho até mesmo depois de descansar no Senhor.

A morte não cala homens e mulheres que viveram para falar do Evangelho!

E não cala porque no velório dessas pessoas só se ouve testemunhos do que Deus fez na vida delas e através delas. Não cala porque as pregações, os ensinamentos e as palavras dessas pessoas vão permanecer vivas na memória e no coração daqueles que tiveram o privilégio de conhecê-las e ouvi-las. Não cala porque os frutos que elas geraram para o Reino de Deus são eternos.

Diante da morte de grandes homens e mulheres de Deus, a tristeza da separação se confunde com a alegria da certeza da salvação e de que, em breve, no dia glorioso da volta de Jesus, nos encontraremos novamente.

Despedidas não são legais, e o que conforta a nós, cristãos, é que, diante da morte de um querido, podemos dizer até breve e não adeus.

veja também