Na Inglaterra, Igreja Anglicana aprova a ordernação de mulheres a bispas

Há 20 anos, mulheres passaram a ser aceitas como sacerdotisas; agora, poderão ser promovidas a bispas

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 16 Julho de 2014 as 4:07

Igreja Anglicana aprova a ordernação de mulheres a bispasPela primeira vez em toda a sua história, a Igreja Anglicana (Inglaterra) aprovou por meio de uma votação, que mulheres sejam ordenadas bispas. A nova medida precisava de uma maioria - dois terços, entre bispos, clérigos e leigos - dos votos nas três câmaras da Igreja para ser implementada e foi anunciada na última segunda-feira, 14/07, pelo arcebispo John Sentamu, na cidade de York (norte da Inglaterra).

A proposta já havia sido votada há dois anos, mas enfrentou forte oposição de uma ala considerada mais "tradicional" na denominação.

Antes de anunciar o resultado da nova votação, Sentamu pediu que a notícia fosse recebido de modo "comedido e sensível", mas isto não impediu a reação vibrante da plateia ao final.

"Por séculos, gerações de mulheres serviram ao Senhor com sua fé. Hoje, é um dia de alegria: o episcopado está aberto a elas", disse o arcebispo.

Tradição
Há tempos a Igreja Anglicana vinha tendo divergências internas em relação ao tema, que diz respeito a uma tradição secular da denominação.

Há 20 anos, a igreja passou a permitir a ordenação de mulheres a sacerdotisas. Atualmente, mais de de 20% do sacerdócio anglicano é formado por mulheres.

A nova medida foi aprovada após cinco horas de debates durante o sínodo geral anglicano - assembléia formada por sacerdotes e leigos.

'Dia histórico'
Segundo a reverenda June Osborne, a aprovação da lei marca um dia histórico.

"Isso mudará não so a Igreja, mas também nossa sociedade, porque é um passo rumo à aceitação de que mulheres têm a mesma autoridade espiritual e de liderança", disse ela à BBC.

Para a reverenda Lidsay Southern, "foi uma longa jornada".

Já Lorna Ashworth, que integra a câmara de leigos e votou contra a medida, "haverá dias difíceis à frente" porque haverá resistência por parte da Igreja, principalmente entre novos padres.

Concessões
A nova medida inclui concessões aos párocos contrários à mudança. Exemplo disto é a possibilidade de pedirem para ter bispos homens como superiores se tiverem alguma objeção em responder a uma mulher e a levar eventuais disputas a um mediador independente.

Entre os que se declararam a favor da nova medida, também estavam o primeiro-ministro David Cameron. Segundo ele, a última segunda feira (14) foi um "grande dia para a Igreja e para a igualdade".

O arcebispo de Canterbury, Justin Welby também celebrou o resultado da nova votacão.

"O desafio para nós será conciliar as discordâncias positivas e continuar a amar aqueles que não concordam conosco em nossos princípios teológicos", destacou.

A Igreja Anglicana é atualmente o maior grupo cristão na Grã-Bretanha e está presente em mais de 160 países. Mulheres já ocupavam o cargo de bispas em alguns deles, como Estados Unidos, Canadá, África do Sul, Austrália, Irlanda, Cuba, Índia e Nova Zelândia.

A nova lei agora (aprovada na Inglaterra) seguirá para análise no Parlamento e deve ser formalmente promulgada em um novo sínodo, em 17 de novembro.

Com informações da BBC News

veja também