Na Inglaterra, políticos ateus recebem mais aprovação do que cristãos, segundo pesquisa

A pesquisa mostra que, enquanto os ateus na Inglaterra estão prontos para se levantar e falar sobre sua descrença em Deus, a maioria dos cristãos estão relutantes em proclamar a sua fé.

fonte: Guiame, com informações de Religion News Service

Atualizado: Sexta-feira, 13 Fevereiro de 2015 as 8:11

 

Diferente do que acontece em países como o Brasil e os Estados Unidos, figuras públicas que negam crer em Deus tendem a ganhar a aprovação de um número maior de cidadãos na Inglaterra.

Uma pesquisa feita com 1.500 pessoas, divulgada nesta quinta-feira (12) pela YouGov, descobriu que o vice primeiro ministro Nick Clegg, e o líder do Partido Trabalhista da Oposição Ed Miliband, foram vistos positivamente, porque eles dizem abertamente que não acreditam em Deus.

Esse é um forte contraste com os Estados Unidos, onde o número de políticos abertamente ateus no Congresso paira em torno de zero.

Outra figura admirada pelos jovens britânicos é o comediante e ator Stephen Fry, que disse em público que, se existe um Deus, então Ele é "caprichoso, mediano e estúpido", por permitir tanto sofrimento.

Ateísmo na Inglaterra

A pesquisa mostra que, enquanto os ateus na Inglaterra estão prontos para se levantar e falar sobre sua descrença em Deus, a maioria dos cristãos estão relutantes em proclamar a sua fé.

O estudo ainda mostra uma divisão acentuada entre os jovens – que cada vez mais abraçam o ateísmo – e as pessoas mais velhas, que se identificam com a sua educação religiosa.

Quase 1 em cada 3 menores de 24 de idade se declaram ateus, em comparação com apenas 1 em cada 10 pessoas com mais de 60 anos de idade.

33% dos entrevistados disseram que não acreditam em "qualquer tipo de Deus ou o poder espiritual."

A proporção de pessoas que negam a crença em Deus subiu para 46% entre os jovens de 18 a 24 anos.

veja também