Não concordo com meu pastor. Deveria dizer para ele?

O que fazer quando discordo com os pensamentos de meu pastor.

fonte: Guiame com tradução da Relevant Magazine

Atualizado: Quinta-feira, 23 Julho de 2015 as 10:31

Obviamente nem todos os cristãos concordam com tudo. Mas, dependendo do desacordo, você está em boa companhia, porque algumas coisas irritou Jesus ou os apóstolos mais do que o ensino incorreto. Martin Luther mesmo começou a Reforma Protestante por causa de sua irritação com a doutrina incorreta da Igreja.

Mas antes de ir e pregar uma lista de queixas na porta do escritório do seu pastor, aproveite o tempo para perguntar a si mesmo estas três perguntas:

1. O que a Bíblia diz sobre isso?
O Cristianismo é único entre as religiões em que os seus seguidores são encorajados a testar os ensinamentos que recebem e não aceitá-lo apenas porque se trata de um pregador ou a pessoa em posição de autoridade. João nos encoraja em 1 João 4 a "testar os espíritos para ver se eles são de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo."

Então pegue os ensinamentos de sua igreja, comunidade ou pastor e confronte contra o que as Escrituras afirmam. Você pode achar que eles são consistentes? Ou esses ensinamentos em sua igreja estão em desacordo com o que a Bíblia realmente diz?

Isso irá ajudá-lo a discernir se você tem motivos bíblicos para enfrentar seus pastores e líderes. Se você acabar por confrontar seu pastor você vai querer trazer mais de um argumento que, "Seu pensamento me irrita." Você estaria bem servido em base bíblica para desafiar seu pastor ou qualquer pessoa.

2. É de mim?
Claro, você pode achar que seu pastor alinha com as Escrituras. Se assim for, então você provavelmente precisa procurar a si mesmo e perguntar por que você está se sentindo irritado.

Muitas vezes, podemos sair de uma igreja por não se sentir bem sobre o que ouvimos. Mas isso não significa necessariamente que o ensinamento era não-bíblico ou incorreto. Às vezes, esse sentimento é o Espírito Santo tentando nos convencer do pecado em nossas próprias vidas ou erros em nosso pensamento. Talvez nos sentimos irritados porque não dormimos o suficiente na noite anterior ou talvez não conseguimos aproximar o nosso tempo de adoração em oração e humildade.

É sábio, antes de saltar a arma e confrontar os outros, primeiro a orar como o salmista: "Sonda-me ó Deus e conhece o meu coração, prova-me" Esse tipo de apresentação requer humildade. Então lembre-se, ser humilde e perguntar: "Existe alguma coisa na minha vida que poderia estar contribuindo para a discórdia que eu sinto?" "Estou irritado porque o ensino é antibíblico ou estou irritado porque o ensino é impressionante demasiado para mim?"

3. Posso enfrentar a situação em um espírito de amor e paz?
A unidade e a paz no seio da Igreja são as características mais importantes de uma comunidade cheia do Espírito. Nós nunca queremos fazer nada ativamente para trazer a discórdia. Nossa motivação deve ser sempre amor e nunca orgulho. Lembre-se que o amo resiste todas as coisas e nunca falha (1 Coríntios 13).

No entanto, se algum ensinamento em sua igreja é contrário às Escrituras ou ao Evangelho, então você deve trazer a sua preocupação às autoridades em sua igreja.

Mas lembre-se o confronto é para o benefício da Igreja não a sua própria reputação. Então enfrentar em nome da verdade, mas falar a verdade em amor. Se você acha que não pode fazer isso sem ficar com raiva ou se você está fazendo isso apenas para provar que está certo, então dê um passo atrás e ore por sabedoria a respeito de como proceder. Sua vitória será vazia se você tiver sucesso em sua reclamação mas não conseguir mostrar o amor e humildade que a doutrina ensina.

Por Drew Griffin, pastor da Cross Church NYC e diretor da SBTS Extension Center in NYC. Ele e sua esposa Emily tem uma filha, Charlotte e vivem em Manhattan.
 

veja também