Não somos advogados, mas testemunhas de Cristo

Jesus não precisa de defesa. Ele não é um prisioneiro no banco dos réus. Sua reputação não depende de nenhum júri

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 21 Julho de 2014 as 2:47

adoraçãoFoi estabelecido que pregadores devem apresentar o caso em defesa de Jesus Cristo. Frequentemente se diz que somos como advogados perante o tribunal. Pregadores são advogados falando para a congregação como para um júri, argumentando para garantir um veredito em favor de Jesus.

Essa abordagem parece tão certa e plausível e prática. Mas será que é? Essa é nossa sabedoria humana, tentando trazer o Evangelho com sabedoria de palavras.

Jesus não precisa de defesa. Ele não é um prisioneiro no banco dos réus. Sua reputação não depende de nenhum júri. Já se passou o tempo em que Jesus foi arrastado até o tribunal romano – e julgado por Pilatos. Hoje Pilatos está no tribunal da história e Jesus é Seu juiz.

NÓS NÃO SOMOS ADVOGADOS, MAS TESTEMUNHAS. Normalmente uma testemunha apenas fala e descreve aquilo que viu. Às vezes, contudo, uma testemunha é parte da evidência.

Talvez um homem que foi brutalmente atacado e ferido. Ele aparece no tribunal para exibir a si mesmo, tira sua camisa e mostra as cicatrizes de suas feridas. Elas falam por si sós. Ele é evidência.

Nós cristãos não somos advogados ou procuradores no tribunal pleiteando em defesa de Jesus. Nós somos TESTEMUNHAS. Testemunhas não argumentam, não pleiteiam e não fazem discursos. Eles simplesmente falam a verdade, declaram o que sabem. Vamos elevar nossas vozes como trombetas. NÓS SOMOS TESTEMUNHAS DE CRISTO.


- Reinhard Bonnke

 

veja também