No Superpop, famosos evangélicos explicam porque se converteram depois de chegar no ‘fundo do poço’

Dentre os convidados estavam a ex-apresentadora infantil Mara Maravilha, o ex-Menudo Rafael Ilha, a ex-paquita Ana Paula Almeida e o ex-ator de filme adulto Giuliano Ferreira.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 31 Março de 2015 as 4:34

Luciana Gimenez, apresentadora do programa Superpop, da Rede TV.
Luciana Gimenez, apresentadora do programa Superpop, da Rede TV.

 

O programa Superpop da Rede TV, que em muitas de suas edições colocam em debate temas religiosos, recebeu nesta segunda-feira (30) alguns famosos que se converteram a Jesus Cristo. Dentre os convidados estavam a ex-apresentadora infantil Mara Maravilha, o ex-Menudo Rafael Ilha, a ex-paquita Ana Paula Almeida e o ex-ator de filme adulto Giuliano Ferreira.

O tema central do programa foi entender porque algumas pessoas famosas tem que chegar no “fundo do poço” para se apegar a fé.

“A gente fala que se não vai pela dor, vai pelo amor. É muito lindo ir pelo amor. Mas, infelizmente, nem todos são assim”, explica Mara Maravilha. “Aonde existiu o pecado, superabundará a graça. Deus está bem interessado nos que estão doentes.”

“Eu já passei por tudo. Durante a minha doença eu procurei o espiritismo, o Padre Marcelo, o candomblé, a igreja messiânica, e eu tinha repugnância de evangélicos. Eu não gostava, eu achava que era chato”, conta Rafael Ilha. “Chegou um estágio da minha vida em que eu me vi na morte, na beira de um suicídio. Então eu pensei: ou eu morro ou eu me liberto, e preciso da ajuda de Deus para isso.”

Depois de passar por uma clínica evangélica, Rafael se converteu ao Evangelho.

“Eu nasci num lar espírita”, contou Ana Paula, conhecida como Pituxita na época de paquita. Depois que sua mãe teve complicações na gravidez da Ana Paula, ela se converteu. “Quando eu era paquita, já era evangélica”. 

Depois de participar de mais de 300 produções de filme adulto, Giuliano Ferreira passou por graves problemas de saúdes causados por uma infecção geral. A doença, que quase o levou a morte, o aproximou de Deus. “Deus perdoa a todos, o difícil é lidar com as pessoas”, disse Giuliano, que hoje é pastor, sobre seu passado.

 

 

veja também