Nova secretária de mulheres é contra a legalização do aborto: "A vida começa na concepção"

A postura da nova gestora da Secretaria de Políticas para Mulheres, Fátima Pelaes tem chamado a atenção dos parlamentares e também da mídia, por ser 'destoante' do posicionamento de suas antecessoras com relação ao assunto [legalização do aborto] que incita debates acalorados.

fonte: Guiame, com informação da Agência Estado

Atualizado: Quarta-feira, 1 Junho de 2016 as 10:35

Fátima Lucia Pelaes será oficialmente nomeada pela gestão Temer como a Secretária de Mulheres, mas já participou de um evento ao lado do novo presidente em exercício. (Foto: Pinterest)
Fátima Lucia Pelaes será oficialmente nomeada pela gestão Temer como a Secretária de Mulheres, mas já participou de um evento ao lado do novo presidente em exercício. (Foto: Pinterest)

Na última terça-feira (31), foi apresentada a nova gestora da Secretaria de Políticas para Mulheres, Fátima Lúcia Pelaes. Ex-deputada federal pelo PMDB-AP e socióloga ela declara a fé protestante e já se manifestou contra a legalização do aborto em algumas oportunidades, como em um depoimento na Câmara Federal em 2010 e também em uma entrevista ao jornal cristão "Mensageiro da Paz", publicada pela CPAD News em 2013.

A postura da nova secretária tem chamado a atenção dos parlamentares e também da mídia, por ser 'destoante' do posicionamento de suas antecessoras com relação ao assunto [legalização do aborto] que incita debates acalorados.

Apesar de suas opiniões pró-vida, adotadas por ela atualmente, Pelaes revelou em sua entrevista, concedida em 2013, que durante seus 11 anos de mandato como deputada federal (1991 a 2002), chegou a ser uma defensora da legalização do aborto.

"De 1991 a 2002, exerci três mandatos de deputada federal. Nesse período, como ainda não conhecia Jesus Cristo, defendi bandeiras de lutas contrárias aos valores bíblicos, como, por exemplo, a defesa do aborto, por entender, naquela época, que a mulher era 'dona' de seu corpo, não conseguindo enxergar que ali há uma vida", relatou.

"Defendi, veementemente, o Projeto de Lei 1135/91, que visava a descriminalizar o aborto no Brasil. Além disso, não via a família como um projeto de Deus e cada um deveria constituí-la como bem entendesse".

Presidente do núcleo feminino do PMDB, a ex-deputada, foi escolhida pelo atual presidente em exercício, Michel Temer, após sugestão da bancada feminina da Câmara.

Durante a gestão de Dilma Rousseff, a Secretaria de Políticas para Mulheres tinha status de ministério, mas atualmente é subordinada ao Ministério da Justiça e Cidadania.


Testemunho na Câmara
Em outra oportunidade, Pelaes também teve a oportunidade de se posicionar contra o aborto na Câmara Federal, em 2010, durante uma discussão do Estatuto do Nascituro.

Fátima contou que ela própria foi gerada a partir de um "abuso" que sua mãe sofreu enquanto estava presa "por crime passional".

"Hoje estou aqui podendo dizer que a vida começa na hora da concepção sim", afirmou Pelaes, expressando gratidão pelo fato de sua mãe, mesmo tendo sofrido um abuso, decidiu não realizar um aborto.

Clique no vídeo abaixo para conferir:

Fátima Pelaes ainda não foi oficialmente nomeada, mas participou na última terça-feira de seu primeiro evento na gestão Temer.

A nova secretária dividiu a mesa com o presidente em exercício e com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, durante uma reunião com os secretários de segurança dos Estados e do DF para adotar reforços nas medidas de combate à violência doméstica.

veja também