"O amor não deve ser compreendido, mas recebido", diz Juliano Son em Fortaleza (CE)

Convidado para pregar e cantar na segunda noite da Conferência 72 Horas, em Fortaleza, o preletor falou sobre a grandeza do amor de Deus e a importância de que o mundo conheça a Cristo através dos testemunhos dos cristãos.

fonte: Guiame, João Neto

Atualizado: Domingo, 1 Novembro de 2015 as 4:34

Juliano Son foi o preletor convidado para a segunda noite da Conferência 72 Horas, em Fortaleza e se apresentou o seu grupo, Livres para Adorar (Foto: Guiame)
Juliano Son foi o preletor convidado para a segunda noite da Conferência 72 Horas, em Fortaleza e se apresentou o seu grupo, Livres para Adorar (Foto: Guiame)

No último sábado (31), centenas de jovens tiveram um dia preenchido por uma programação variada e edificante, na Conferência 72 horas, que está acontecendo no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Com plenárias, momentos de louvor, fóruns, debates e pregações, o segundo dia do evento se desenvolveu com diversas oportunidades de interação entre preletores e público.

Convidados como os pastores Jasiel Botelho (Jovens da Verdade), Antônio José (Assembleia de Deus Templo Central), Tarcis Jr. (Assembleia de Deus Barra da Tijuca/RJ) e Juliano Son (Livres para Adorar) passaram pelo palco do evento, compartilhando mensagens e propondo reflexões bíblicas, relacionadas ao tema da Conferência, "Ilumine a Cidade".

Marcando sua participação à noite, com uma mensagem desafiadora e um momento de louvor com sua banda, que fez do público presente, um grande coral em diversos momentos, Juliano Son falou sobre a grandeza do amor de Deus e a importância de que o mundo conheça a Cristo através dos testemunhos dos cristãos.

Segundo Juliano, o amor de Deus pela humanidade é tamanho, que Ele aceitou adotar uma forma humana, despido de sua glória para

"O que me constrange ainda mais pelo Seu amor, é que por amor, Deus aceitou parte de nossa natureza em Seu ser. Deus se fez criatura, Jesus se fez criatura. Ele sempra havia sido Espírito, mas se fez em parte, carne. [...] Jesus não deixou de ser Deus se tornando homem. Além de todos os Seus atributos divinos, tomou para Si a humanidade, para que o sacrifício substitutivo na cruz batesse. Para que de fato, Deus pudesse tomar o lugar do homem na cruz", destacou.

"O amor não existe para ser entendido, mas sim aceito, recebido", disse o preletor, já de joelhos, pronto para orar no palco do evento.


Graça
Falando com exclusividade ao Guiame, Juliano discorreu um pouco mais sobre sua frase anteriormente dita no palco, sobre a tentativa humana de compreender o amor e, por consequência, tentar compreender Deus. Segundo o preletor, o amor não acaba não sendo aceito por muitos, porque estes tentam estabelecer uma relação de mérito diante da graça divina.

"Eu tenho percebido que pessoas que não compreendem bem a dinâmica da graça têm essa dificuldade de se perceberem como alvos do amor Deus, porque a gente sabe quem a gente é. Nós sabemos quem nós somos, percebemos a escuridão em nós, nos pensamentos, nas atitudes, naquilo que ninguém está vendo. Quando a gente não compreende essa dinâmica da graça, obviamente, o questionamento que surge é: 'como Deus seria capaz de me amar, se eu sou tão sujo(a), pecaminoso(a) assim?", expôs.

Juliano também explicou que a compreensão da dinâmica da graça (favor imerecido) é libertadora e leva o ser humano a uma entrega completa nas mãos de Deus.

"A partir dessa compreensão da graça, do amor imerecido, desse amor que a gente não compreende, mas é convidado a receber, a gente é liberto dessas cobranças pessoais, cobranças da sociedade, do outro, do inferno e a gente passa a se ver livre para receber um toque, um perdão, uma cura. Há pessoas que não conseguem ser tocadas ou não se permitem ser tocadas pelo Senhor, porque se perde e não compreende a dinâmica da graça, do amor, olham muito para si mesmas ao invés de entender que Deus nunca chamou a gente para confiar na força do nosso braço ou em quem a gente é, mas nos chamou para olhar para Ele e confiar em quem ele é", finalizou.


Último dia
A Conferência 72 Horas se encerra neste domingo, tendo previstas para à noite a pregação do pastor Daniel Nogueira e a apresentação musical com Gabriela Rocha.

veja também