O "crente carnal" e a sua vida contraditória

fonte: Guiame, Bruno Brandão

Atualizado: Sexta-feira, 1 Janeiro de 2015 as 11:25

Os religiosos não são somente os moralistas de plantão, refiro-me àqueles que vivem, nutrem-se, alimentam-se do julgamento de terceiros - um bando de judicialistas fariseus.

Os religiosos não são somente os apegados às estéticas e ritos de uma liturgia, de um dogma, de uma doutrina, fazendo deles, invariavelmente, um fim em si mesmo e adereços de vaidade performática; nem também, religiosos, são apenas aqueles cuja fé é uma crença numa tradição, num legado ou em uma boa obra auto indulgente.

Não são, em exclusividade, os religiosos, os que controlados rendem-se às manipulações humanas em total ignorância da verdade.

Os religiosos também são os que titubiam entre o Reino e o mundo, aquiescendo com um jeitão carnal de ser, ainda que sob a atmosfera do sagrado.

Em outras palavras, o "crente carnal" é um religiosão bobão sim! O interessante é que, eles (este último grupo ou espécime), criticam todos os demais como se a "religiosidade" perversa a que atacam, já não os tivesse seduzido e contaminado com outros matizes.

No fundo, inclusive, suas identidades revelam-se como gnósticas e antinomianas e por isso suas vidas testemunham essa coisa esdrúxula e amorfa, pra não dizer, esquizofrênica e nociva até - digna de disciplina.

Cuidado "brother's" para não estarem querendo tirar o argueiro do olho dos outros, enquanto no seu, tem uma trave! Arrependei-vos!

veja também