"O Espírito Santo me disse que a homossexualidade é um erro", diz ex-lésbica

Isabél se tornou lésbica após sofrer abuso sexual na infância e anos mais tarde se envolveu com o satanismo. Sua vida mudou quando ela aceitou Jesus, aos 21 anos.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Quarta-feira, 31 Maio de 2017 as 12:54

Isabél já plantou duas igrejas e já pregou em todos os estados do México. (Foto: Reprodução).
Isabél já plantou duas igrejas e já pregou em todos os estados do México. (Foto: Reprodução).

Isabél Contreras era a pessoa mais improvável do mundo para se tornar uma pregadora evangélica. Ela foi criada em uma família católica no sul do México, mas aos 14 anos se tornou ateia e passou a explorar o universo do satanismo durante o ensino médio.  Ela começou a viver de forma bastante desregrada quando se tornou jogadora de vôlei. Além de beber em demasia, passou a se identificar como lésbica e até chegou a vender seu corpo como prostituta durante os três anos em que morou na Cidade do México.

Mas tudo isso mudou quando ela encontrou Jesus, aos 21 anos. Ninguém teve de lhe dizer para deixar de fazer sexo com mulheres. "Imediatamente, o Espírito Santo me disse que isso estava errado", diz Isabél.

Após sua conversão, ela convidou 25 de seus amigos atletas para um jantar e anunciou que era cristã. "Vocês são bem-vindos para se juntarem a mim", disse ela, depois de convidá-los para sua igreja. "Caso contrário, vocês podem fingir que nunca me conheceram. A velha Isabél está morta".

Suas amigas lésbicas não estavam felizes com a mudança drástica. Elas até contrataram uma mulher para tentar seduzi-la, mas Isabél não caiu nesse esquema. "Eu sabia que nunca voltaria a essa vida", disse. "Eu sabia que minha decisão de seguir Jesus era tudo ou nada".

Desafios na jornada

E assim começou uma jornada incomum para uma mulher que se tornou ministra respeitada em um país dominado pelos homens e marcado pelo machismo. Agora, com 54 anos, Isabél já plantou duas igrejas e já pregou em todos os estados do México e em outras cinco nações.

Na conferência feminina “ReeNueva” realizada na cidade de Querétaro na semana passada, sua pregação apaixonada tinha mulheres aprendendo mais de Deus e rindo de suas piadas. "Cristo está em você!" ela gritou. "Deus colocou você onde você está para que possa dar unção às pessoas. Satanás e seus demônios têm medo disso", ministrou.

Ser uma ministra não é fácil para Isabél, embora tenha viajado durante 20 anos como professora da Bíblia. Quando ela visita uma nova cidade, muitas vezes aprende que ela é a primeira mulher a pregar lá. Alguns pastores a enfrentaram com raiva, dizendo-lhe que Deus não unge as mulheres para compartilhar o Evangelho. Ela costuma lembrá-los da história bíblica de Balaão. "Se um burro pode falar por Deus, também posso", diz ela.

Vida homossexual

Isabél acredita que sua luta homossexual começou aos 11 anos quando uma menina mais velha a molestou em um armário escuro. Mas ela também acredita que algumas mulheres se voltam para o lesbianismo porque elas foram estupradas ou abusadas por homens e portanto, vêem o sexo com os homens como doloroso ou traumático. Este problema é especialmente grave no México, onde o abuso doméstico se tornou uma epidemia e a taxa de feminicídio é uma das mais altas do mundo.

Enquanto Isabél vê a homossexualidade como pecado, ela tem compaixão por pessoas que lutam com a atração do mesmo sexo porque muitas vezes são enraizadas em abusos. Ela aconselhou inúmeras pessoas que encontraram cura após a oração. Alguns líderes da igreja no México acreditam que Deus está usando Isabél de forma única, não só para oferecer cura às pessoas que lutam com sua identidade sexual, mas também com o corpo de Cristo.

veja também