"O Islã não pode ser reformado porque nasceu deformado", diz ex-muçulmano

O autor cristão, conhecido como irmão Rachid alertou que o islamismo é violento desde suas raízes e que os ataques de Londres são apenas o começo de um 'Ramadã sangrento'.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Terça-feira, 6 Junho de 2017 as 8:57

Irmão Rachid é atualmente autor apresentador de um programa árabe chamado "Daring Questions" ("Questões Desafiadoras). (Imagem: Youtube)
Irmão Rachid é atualmente autor apresentador de um programa árabe chamado "Daring Questions" ("Questões Desafiadoras). (Imagem: Youtube)

Outro especialista no Islã está alertando que os ataques terroristas de Londres neste fim de semana são apenas o início de uma onda terrorista durante o Ramadã (ritual de jejum islâmico, realizado durante o mês de junho).

Apresentador de um popular programa de árabe chamado "Daring Questions", o homem conhecido como 'irmão Rachid' nasceu no Marrocos e já um foi muçulmano devoto, até ser tocado por Jesus Cristo e se tornar um cristão.

Em entrevista para a 'CBN News' o autor e apresentador alertou que o Ramadã é, de fato, o mês da Jihad.

"O Ramadã não é sagrado da maneira como os ocidentais compreendem este termo. É 'sagrado' porque é para Alá e para a causa de Alá", diz Rachid.

Ele ressalta que Maomé lutou várias batalhas durante o Ramadã, incluindo a 'Batalha de Badr', Al-Fatiha e Guadalete.

O irmão Rachid ressaltou que Maomé fez um acordo com seus seguidores de que, se eles matarem (outras pessoas ou cometessem suicídio), terão o paraíso.

"Esse é realmente um verso no Alcorão, que está no capítulo 9:111. Ele diz o seguinte, conforme uma tradução inglesa: 'De fato, Alá comprou os crentes, suas vidas e suas propriedades (em troca) e assim eles terão o Paraíso. Eles lutam pela causa de Alá, então por isso eles matam e são mortos'. Então, [segundo o Alcorão], se você morrer como 'mártir' no Islã, está morrendo por causa de Alá e ele lhe dará o 'paraíso na eternidade", disse Rashid.

Rashid tem anunciado alertas sobre o Islã após a ocorrência dos últimos ataques terroristas.

"O Islã não pode ser reformado porque nasceu deformado!", publicou o ex-muçulmano no Twitter.

Rachid diz que o motivo pelo qual o Islã não poderia ser 'reformado' - buscando o que muitos apontam como um islamismo pacífico - é porque a reforma significaria voltar às raízes, que não são pacíficas.

"Se você levar o Islã de volta às raízes, à vida de Maomé e ao Alcorão, então estamos com grandes problemas porque Maomé fez 83 invasões violentas em quase oito anos e ele realizou muitas guerras. Ele não era um homem pacífico. A primeira comunidade muçulmana viveu desses ataques, então, se voltarmos para as raízes do Islã, estamos com grandes problemas", disse Rashid.

"Maomé disse que foi ordenado a lutar contra as pessoas até elas confessarem o seu credo!! #LondonBridge #LondonAttacks", publicou Rashid em outro post de sua conta no Twitter.

Ele incentivou os muçulmanos a se afastarem da violência e, em vez disso, buscar a Jesus, abraçando a mensagem bíblica de amor e paz.

"Eu digo aos muçulmanos em todos os lugares por onde passo, que fomos vítimas desta ideologia do Islã e precisamos sair dela. Ela está nos destruindo e está destruindo outras pessoas", diz ele. "Precisamos olhar para a vida de Jesus, porque isso me transformou e tem transformado muitos muçulmanos por aí".

veja também