O medo de ‘Sexta-Feira 13’ tem origem no cristianismo, dizem estudiosos

“Na Idade Média, por exemplo, os casamentos não eram realizados às sextas-feiras, e ninguém iniciava uma viagem nesse dia”, disse Bailey.

fonte: Guiame, com informações de USA Today

Atualizado: Sexta-feira, 13 Fevereiro de 2015 as 7:05

 

A sexta-feira 13 é conhecida como um dia que, supersticiosamente, traz ‘azar’ para as pessoas. De acordo com estudiosos, as origens do dia mais mal visto do ano pode ter começado em crenças erradias de alguns cristãos, em séculos passados.

“Jesus foi crucificado em uma sexta-feira, e a partir disso, esse dia tem sido associado com um ‘mau presságio’”, explica Michael Bailey, professor de história na Universidade Estadual de Iowa (EUA), que é especializada nas origens das superstições.

“Na Idade Média, por exemplo, os casamentos não eram realizados às sextas-feiras, e ninguém iniciava uma viagem nesse dia”, disse Bailey.

Na noite anterior da morte de Jesus, treze pessoas fizeram parte da Última Ceia, de acordo com Stuart Vyse, professor de psicologia na faculdade de Connecticut. “E Judas Iscariotes, o discípulo que traiu Jesus, é considerado 13º convidado”, disse Vyse.

Não é claro quando sexta-feira e o número 13 foram ligados no modo como as pessoas pensam hoje, segundo Vyse e Bailey. Não há menções de sexta-feira 13, antes do século 19.

Nos dias de hoje, o medo de sexta feira 13 é considerado até mesmo como uma doença, chamada parascavedecatriafobia – a fobia pelo dia que muitos consideram ‘azarento’.

veja também