O que Jesus não quer que pensemos dEle

Ele não é a vítima do sinédrio, o réu do pretório, o burro de carga daquele pesado lenho

fonte: Guiame, Bruno Brandão

Atualizado: Quarta-feira, 14 Janeiro de 2015 as 12:07

Leão de JudáEle não é um bebê inerte numa manjedoura; Ele não é um adolescente aprendiz de carpinteiro; Ele não é um andarilho com retórica acima da média; Ele não é um guru impressionável por suas peripécias enigmáticas; Ele não é um servo simplório à disposição dos homens; Ele não é um difamado por seus opositores e delatores; Ele não é um homem traído por inimigos sem causa; Ele não é um ente de dores cujas lágrimas se derramaram em vão.

Ele não é um homem em angústias que se prostra deprimido num jardim sem qualquer motivo; Ele não é a vítima do sinédrio, o réu do pretório, o burro de carga daquele pesado lenho; Ele não é o estigmatizado a caminho do Calvário por zombares amorais e imorais.

Ele não é um cordeiro em sacrifício moribundo ou o réu cravado e desfalecido na cruz; Ele não é um coração desenhado numa gravura - um rosto empalidecido pintado num quadro - um corpo semi-nu e impotente destacado num afresco.

Ele é o Ressurreto dentre os morto, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, o Leão da tribo de Judá, Soberano sobre toda a Terra, que venceu e que te ordena hoje:

"Não resista mais a mim, nem me busque onde não estou! Não me idolatre, nem me confunda com as obras das mãos dos homens, simplesmente, se renda ao meu amor e o faça em espírito e em verdade!

veja também