O sucesso de Jesus

Jesus é o modelo de anti-marketing pessoal, pois chega a ordenar que as pessoas que por ele foram curadas não contem a ninguém o que lhes aconteceu

fonte: Guiame, Alexandre Robles

Atualizado: Segunda-feira, 2 Março de 2015 as 9:12

Jesus_cruz
Jesus_cruz

Jesus é contraproducente, porque após realizar sinais grandiosos, testemunhados por multidões, ao invés de imediatamente aproveitar o momento para engajar seguidores a fim de assumir o poder, escolhe se retirar para orar, sozinho.

Jesus é o modelo de anti-marketing pessoal, pois chega a ordenar que as pessoas que por ele foram curadas não contem a ninguém o que lhes aconteceu. Seus irmãos o criticaram dizendo que Ele deveria fazer seus milagres em lugares mais estratégicos. Seus discursos eram tão confrontadores que seus discípulos pediam que Ele fosse mais brando a fim de que a multidão não fosse embora. Isso o fez perguntar aos próprios discípulos se não queriam ir embora também com a multidão.

Jesus seria considerado depressivo, pois sua rotina muitas vezes era interrompida porque Ele estava triste e precisava orar, ou porque fugia das pessoas a fim de se retirar solitário, ou porque tinha comportamento rude e sem muita paciência com líderes religiosos e comerciantes que faziam do Templo uma feira.

Isso sem falar que Ele tinha um desqualificado time de trabalho, uma network desfavorecida, feita de prostitutas, fiscais e políticos corruptos e radicais revolucionários.

Jesus foi apenas um humano. E quando tomamos a decisão de sermos gente como Ele, não seremos mais as máquinas que o Mercado exige, não seremos mais imagem feliz da rede social, não teremos mais medo de sentir dor, de sofrer, de ter medo, atenderemos nosso coração quando ele pedir descanso, choraremos naturalmente.

Prefiro ser gente como Jesus do que seguir o Jesus mercadológico da Indústria de Entretenimento Religioso, dos palcos das Performances Ministeriais, da Marcha da Auto-Ajuda medíocre que pretende transformar a letra do Livro em Leis para o sucesso.

Obrigado Jesus, por me convidar ao descanso.


.

veja também